Orla do Rio Caí enche aos domingos, mas veículos passam pelo local em alta velocidade

MORADORES pensam na segurança e no lazer para famílias

A Orla do Rio Caí, em Montenegro, tem se tornado cada vez mais atrativa para a população montenegrina e também para visitantes de cidades vizinhas. Muitas pessoas passam pela beira do rio nos fins de tarde durante a semana para uma caminhada ou corrida. Além disso, a beira do Caí hoje é um ponto de encontro aos fins de semana, especialmente nos domingos ao entardecer. Geralmente em frente à Câmara de Vereadores, público de todas as idades se reúne. Nos últimos meses, após flexibilizações relativas à pandemia, trailers de food e beer truck também fazem parte do encontro, chamando a atenção de quem quer saborear algum aperitivo ou tomar aquele chope gelado. Porém, não há quem frequente o local e não note o grande movimento de veículos entre a beira do rio e a Câmara, na rua Álvaro de Moraes. E se o local tivesse trecho restrito à circulação apenas de pedestres e ciclistas nesses período de encontro da população?

Comunidade se preocupa com o risco de acidentes entre veículos e crianças

Comerciantes do local acham ideia interessante
João Batista Corrêa, proprietário de um beer truck de chope artesanal, que fica à disposição da população nas tardes e noites de domingo na Orla, afirma que a ideia pode ser bem interessante. “O pessoal vem muito com criança aqui. Às vezes tem carro e moto circulando e se torna bem perigoso.

Então, teria espaço para as crianças andarem de bicicleta, roller, skate. Seria uma área mais de lazer para as famílias”, salienta. Gilberto Silva é colaborador do trailer de espetinho Miau, que também fica na beira do Caí. Para ele, a ideia pode até ser interessante, mas não interfere nos atendimentos. “Quem consome nossos produtos são os pedestres, então, os carros passando não nos atrapalham em nada em questão de vendas”, pontua.

População simpatiza com a proposta na quadra da Câmara
Marcos Guarani reside próximo à Orla e acredita que a restrição de veículos no local já deveria ser uma realidade. “A quadra da Câmara de Vereadores deveria ser fechada o ano inteiro. Não há residências e não influenciaria negativamente na circulação dos pedestres e veículos, já que há alternativas nas demais vias. Isso seria ótimo para as famílias, para o lazer e para melhor utilização do Cais. Inclusive, a Câmara podia ser aberta aos fins de semana para uso do banheiro e atendimento à comunidade”, opina.

Bárbara Muller já esteve algumas vezes curtindo a tarde no local com o marido e a filha, de apenas três meses. Ela relembra que em Porto Alegre, no Guaíba, há uma área específica apenas para pedestres e que a ideia poderia ser trazida para cá. “Seria muito interessante para pais que vêm com crianças, para maior segurança. Eu acho muito bacana, porque a gente fica mais tranquilo”, afirma.

Maria Odila é da cidade de Triunfo, e pela primeira vez beira do Caí, se apaixonou pelo local. Para ela, que pretende voltar aos domingos, a ideia é muito positiva. “Deveria ser fechado mesmo, principalmente por causa das crianças. Sabe como é: é só piscar que dá um acidente. O local é muito bom e fechado ficaria melhor ainda”, pontua. Moradora de Pareci Novo, Claudia Rockembah, que costuma vir a Montenegro para aproveitar o local, também acredita que o fechamento da rua seria bom para a segurança dos visitantes. “Pensando nas famílias, ficaria muito mais cômodo. O movimento de carros é bem grande, então seria interessante.”

Maria Odila é de Triunfo. Ao visitar a Beira do Caí, afirma que o local deveria ser apenas para os pedestres

Fechamento da Osvaldo foi um teste
Após muitas solicitações da comunidade, a rua Osvaldo Aranha, no trecho entre o Eco Motel e a rua Aloys Jacob Kerber, está em avaliação para ter o trânsito bloqueado para veículos no sentido ERS 240 – Centro aos domingos. Um “teste” foi realizado no último dia 14. Após contato via assessoria, a Prefeitura Municipal afirma que a proposta é permitir que as pessoas tenham um espaço para a prática esportiva, como caminhada e ciclismo e que tenham, principalmente, um espaço onde aproveitar com os filhos. Ainda segundo a Administração, o primeiro teste teve baixa adesão, o que leva o governo a avaliar a continuidade.

Mirela Brochier de Oliveira mora nas proximidades do local e é muito favorável que a rua se mantenha aberta apenas aos pedestres no trecho. “A minha filha tem nove anos e eu não tenho um lugar aqui para ela aproveitar. Ela não pode andar de bicicleta porque é perigoso, eu fico preocupada, porque essa via tem carros que passam bem rápido. Eu achei muito bom essa restrição de veículos”, opina.

Elisabete Martins e sua família aprovam a restrição de veículos não apenas na Osvaldo Aranha aos domingos, mas também na Orla.

Quanto à proposta de fechamento do Cais, Mirela tem dúvidas. Seu medo é a baderna. “Eu não sei, acho que não seria muito a favor. Na Osvaldo Aranha acho que é mais família e lá tem mais a questão dos jovens, que pode dar mais arruaça, quem sabe, maiores problemas na área. Se bem que também tem a questão que falam muito que os jovens não têm uma oportunidade, um local para ficar, então tem os dois lados”, pondera. Nos dois locais, Mirela sugere que o comércio local possa estar presente. “Na Osvaldo Aranha, como é mais família, quem sabe ter algo de sorvete para venda, esse tipo de coisa que as crianças gostam. Minha irmã tem um ateliê e eu já disse para ela: já pensou poder levar as coisas e abrir uma tendinha?”

Elisabete Martins e sua família, que veio de Capela de Santana para aproveitar o dia, também é favorável à presença de apenas pedestres na Osvaldo Aranha, assim como na Orla do Rio Caí aos domingos. “Tem que fechar, se não é muito perigoso. Os motoristas acham que é a Osvaldo Aranha é para carro e não para o pessoal caminhar e assim impõe respeito. Eu achei muito certo e maravilhoso”, destaca. Quanto à beira do rio, Elisabete opina que a ideia pode dar certo. “A população montenegrina é muito carente em questão de praças. A gente não tem lazer. Também acho que no domingo tu não tem que estar transitando de carro. Tem que fechar e dar espaço par a população caminhar e as crianças brincarem”, diz.

Mirela Brochier de Oliveira tem medo que fechamento da beira do rio gere mais baderna, mas acredita que proposta na Osvaldo Aranha é uma ótima iniciativa

O que diz a Prefeitura?
Após contato via assessoria de imprensa, a Prefeitura Municipal de Montenegro afirma que a solicitação para restrição da passagem de veículos na rua da Orla durante as tardes de domingo está sendo avaliada pela Diretoria de Turismo e deve ser aproveitada para uma experiência. A Administração adianta que, em breve, em um domingo, a Orla será interditada para a circulação de veículos na parte da tarde, para avaliação dos impactos. De acordo com o diretor da diretoria, Jaime Bütembender, a data deve ser anunciada nos próximos dias. Se a experiência for positiva, poderá ser repetida.

Deixe seu comentário