Reduzir os casos de gestação em meninas menores de idade é um dever do poder público, que precisa discutir com a sociedade a melhor forma de agir. Com foco nessa visão, o vereador Juarez Vieira da Silva (PTB) elaborou um projeto de lei que institui no calendário de atividades do Município a Semana de Prevenção da Gravidez na Adolescência. A proposta será votada na sessão plenária da Câmara hoje à noite.

O autor ressalta que a sociedade está diante de um grave problema de saúde pública. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, o Brasil tem 68,4 bebês nascidos de mães adolescentes a cada mil meninas de 15 a 19 anos. “A gravidez nesta faixa etária tem sérias implicações de ordem biológica, familiar e econômica, que atingem o indivíduo isoladamente e a sociedade como um todo”, aponta Juarez. A maternidade precoce limita ou adia projetos de vida, efeito de uma prática sexual cada vez mais precoce e sem prevenção.

Na justificativa do projeto, o vereador aponta que os adolescentes estão iniciando a vida sexual com pouca idade. “Geralmente, não estão preparados emocional e financeiramente para assumir este tipo de responsabilidade, o que faz com que muitos deixem seus estudos, saiam de casa, pratiquem abortos e até mesmo, em casos de desespero, abandonem as crianças”, descreve Juarez.

Pela proposta em votação, uma programação será realizada anualmente, na semana que antecede ao dia 2 de março, no começo do ano letivo. O objetivo é disseminar informações sobre medidas preventivas e educativas, que contribuam para a redução da incidência das gestações precoces. A matéria já foi aprovada na Comissão Geral de Pareceres, tendência que deve se repetir em plenário. A sessão começa às 19h, na Usina Maurício Cardoso, e é aberta à comunidade.

Os principais riscosA gravidez na adolescência é sempre considerada uma gravidez de risco, já que as menores de idade nem sempre estão preparadas fisicamente para a gestação, o que pode representar risco tanto para a menina quanto para o bebê. Os principais perigos da gravidez na adolescência são:
– Pré-eclâmpsia e eclâmpsia;
– parto prematuro;
– bebê com baixo peso ou subnutrido;
– complicações no parto, que podem levar a uma cesária;
– infecção urinária ou vaginal;
– aborto espontâneo;
– alterações no desenvolvimento do bebê;
– má formação fetal;
– anemia;
– aumenta o risco de óbito da gestante, de depressão pós-parto e rejeição ao bebê.

Outras votações
Também serão apreciados, na sessão desta noite, três requerimentos protocolados pelo vereador Cristiano Braatz (MDB), presidente da Câmara:

– Requerimento 210/19: agendamento de reunião para tratar do projeto e das obras de manutenção da RSC-287, no perímetro urbano de Montenegro;

– Requerimento 211/19: solicita a realização de Sessão Solene, no dia 24 de outubro, alusiva à abertura da “Semana Gospel”;

– Requerimento 225/19: agendamento de reunião para tratar sobre a implantação do programa “Pet Terapia ou Terapia Assistida por Animais”, em hospitais, clínicas, centro de atendimento psicossocial, casas de amparo, repouso, geriátricas e asilos na cidade de Montenegro.

Deixe seu comentário