Foto: Arquivo Comunidade Nª.Sª. Aparecida

Devido a incidência da doença do Morno em cavalos no Rio Grande do Sul, a 10ª Cavalgada com Nossa Senhora Aparecida deste sábado foi cancelada. Todavia, estão mantidos os demais eventos do dia 12, como a chegada da Imagem conduzida por um cavaleiro, porém em um trajeto simbólico dentro da própria comunidade do Faxinal; e a Missa Crioula (10h) e o almoço campeiro (11h30min – R$ 20,00 o cartão).

O organizador da cavalgada era o tradicionalista Artur da Silva, atendendo convite da entidade promotora, a Comunidade Católica Nossa Senhora Aparecida. Assim, a igreja seria responsável pela contratação de um técnico veterinário que, na saída ou na chegada da comitiva, faria a avaliação sanitária dos animais.

Todavia, até a tarde desta quarta-feira Artur ainda não havia sido informado que a Comunidade assumiria este compromisso. “Sem estar tudo dentro das normas eu não vou fazer”, definiu. Ele salienta que, além dos cavalarianos, a entidade religiosa poderia ser multada, o que seria desagradável para a tradição Cavalgada à Nossa Senhora.

Para realizar evento com reunião de animais, especialmente em espaço público, é exigida a Guia de Transporte Animal (GTA), emitida mediante exame de imunidade para Anemia e Mormo e vacina contra a Influenza. Todos estes procedimentos, segundo Artur, teriam custo aproximado aos R$ 2 mil. Apesar de ser patrão do Piquete 15 de Novembro, ele prestava assessoria de forma particular.

Deixe seu comentário