No total, 227 pessoas contraíram a doença no município e quatro ainda aguardam resultado de exame para confirmação. Foto: arquivo Ibiá

A Vigilância em Saúde confirmou, nessa terça-feira, 24, a existência de mais casos de Dengue em Montenegro. No total, 227 pessoas contraíram a doença no município e quatro ainda aguardam resultado de exame para confirmação. No entanto, a maior preocupação são os números de segunda para terça-feira: foram 13 novos casos positivos na cidade, o que tem feito a Vigilância reforçar, ainda mais, a atuação de combate ao mosquito.

Segundo a chefe da Vigilância, Beatriz Garcia, o fato preocupante é que esses dados acontecem em uma época de frio. “O calor é um ambiente propício para o mosquito procriar. Então esse aumento acontece em uma época, em tese, desfavorável para o inseto”, destaca. Ela enfatiza que os períodos mais frios costumavam facilitar o controle da Dengue. “É imprescindível que todos olhem nos pátios e identifiquem se há ou não focos de água parada”, salienta.

No trabalho de bloqueio que a Vigilância tem realizado, foram encontradas larvas do mosquito transmissor, inclusive, na casa de pessoas que já contraíram a doença. “Desde a metade do ano passado, devido aos casos que ocorreram na oportunidade, estamos alertando para essa situação”, destaca Beatriz.

Sintomas da Dengue leve

– Febre (temperatura maior que 38º C) por até 7 dias.

Sintomas inespecíficos:

– dor de cabeça;

– prostração (fraqueza);

– dor ao redor dos olhos;

– exantema (irritação na pele);

– dor muscular;

– dor nas articulações.

Sintomas da Dengue Hemorrágica

– dor abdominal intensa e contínua (não cede com medicação usual);

– agitação;

– vômitos persistentes;

– pulso rápido e fraco;

– extremidades frias;

– cianose (cor azulada ou acinzentada da pele, das unhas, dos lábios ou ao redor dos olhos);

– sangramentos espontâneos pela urina e pele.

– desmaios;

– hipotensão arterial (pressão baixa);

– transpiração em excesso.

Principais medidas para eliminar a formação de criadouros

– Manter as caixas-d’água bem fechadas;

– Lavar com água e sabão tonéis, galões ou depósitos de água e mantê-los bem fechados;

– Limpar e remover folhas das calhas deixando-as sempre limpas;

– Retirar água acumulada das lajes;

– Desentupir ralos e mantê-los fechados ou com telas;

– Colocar areia ou massa em cacos de vidro de muros;

– Lavar plantas que acumulam água como as bromélias duas vezes por semana;

– Preencher com serragem, cimento ou areia ocos das árvores e bambus;

– Evitar utilizar pratos nas plantas, se desejar mantê-los, colocar areia até a borda dos pratos de plantas ou xaxins;

– Tratar a água da piscina com cloro e limpá-la uma vez por semana;

– Retirar a água e lavar com sabão a bandeja externa da geladeira;

– Lavar bem o suporte para garrafões de água mineral a cada troca;

– Lavar vasilhas de animais com esponja ou bucha, sabão e água corrente, trocá-los uma vez por semana;

– Manter aquários para peixes limpos e tampados ou telados;

– Manter vasos sanitários limpos e deixar as tampas bem fechadas;

– Guardar garrafas vazias e baldes de cabeça para baixo;

– Jogar no lixo objetos que possam acumular água como: latas, tampas de garrafa, casca de ovo, copos descartáveis;

– Manter a lixeira sempre bem tampada e os sacos plásticos bem fechados;

– Fazer furos na parte inferior de lixeiras externas;

– Descartar ou encaminhar para reciclagem os pneus velhos ou furá-los e guardá-los secos e em locais cobertos;

– Usar repelente.

Não são considerados criadouros: açudes e poças de água em terrenos baldios com solo de terra e/ou areia, desde que não haja acúmulo de entulho ou lixo.

Deixe seu comentário