Trecho entre o Trevo do Shell até a Companhia Brasileira de Cartuchos (CBC) recebeu recapeamento de asfalto

A péssima condição de trafegabilidade da BR-470, mais especificamente no perímetro urbano de Montenegro, é causa de descontentamento para os motoristas e para quem mora às margens dela. Buracos e desníveis do asfalto são algumas das adversidades que quem transita pelo local sofre. Entretanto, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) promoveu a recuperação de asfalto no trecho crítico entre os quilômetros 277 e 289 da BR-470. O trecho recebeu um novo recapeamento do asfalto.

De acordo com o DNIT, as melhorias integram os serviços previstos no contrato do Plano Anual de Trabalho e Orçamento (PATO), que prevê a manutenção entre o km 210,6 e o km 289,3 da BR-470, entre Bento Gonçalves e Montenegro. O estado avançado de deterioração do pavimento fez o DNIT priorizar a execução dos serviços no trecho mais crítico, entre o km 277 e o km 289. Além disso, a autarquia informa que não há data para a continuidade dos trabalhos de recapeamento no trecho.

Em junho deste ano, DNIT conduziu o início do trabalho de recuperação do asfalto e dos acostamentos da BR-470, que começa no quilômetro 210, em Bento Gonçalves, e termina no quilômetro 289 em Montenegro, onde há o entroncamento com a RSC-287, ERS-240 e a Rua Buarque de Macedo. O valor da obra passa dos R$ 52 milhões e deve ser entregue até abril de 2021.

Deixe seu comentário