Matagal é realidade pelo menos já desde o fim do mês passado no campo santo

Mais antigo dos três cemitérios que compõem o complexo do bairro Cinco de Maio, o Cemitério Evangélico está sendo tomado por mato. Reflexo da falta de manutenção, a vegetação já praticamente fechou alguns dos corredores de passagem entre as sepulturas. Algumas delas chegam a ser escondidas pelo matagal. Transitar pelo campo santo também é se sujeitar a ficar com as calças cheias de “pega-pegas”.

“Nós pagamos a anuidade e, agora há poucos dias minha mãe faleceu. Além de ser um momento muito triste pela perda dela e principalmente por não podermos nem fazer uma despedida digna pois o caixão estava lacrado devido à Covid, ainda tivemos que nos embrenhar no matagal que está no cemitério”, lamentou uma frequentedora que denunciou a situação à reportagem. “É um descaso, uma falta de respeito e de consideração com pessoas que passam por um momento tão triste como o que estamos passando.”

O problema ocorre, pelo menos, desde a segunda quinzena de março; e a direção do cemitério, que é da Comunidade Evangélica, reconhece a situação. Explica que a equipe que atendia à instituição com o serviço de limpeza suspendeu o serviço; e que agora estão sendo buscados orçamentos para um novo contrato que coloque a demanda em dia o quanto antes. Ainda não há data para que isso ocorra. (DM)

Deixe seu comentário