Estado definiu ações para que possa haver evolução do status sanitário Foto: Fernando Dias/Seapdr

O Rio Grande do Sul vai antecipar a vacinação do rebanho bovino e bubalino contra a febre aftosa. O aval foi dado nesta semana pela ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina; durante reunião com o governador Eduardo Leite, o secretário da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Covatti Filho, deputados e lideranças do setor rural.

A antecipação faz parte da estratégia do Estado para ser declarado como ‘livre de aftosa sem vacinação’. E, num segundo momento, obterá o reconhecimento internacional dessa condição pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE). A definição do dia de março para o início da campanha depende da disponibilidade dos laboratórios que produzem a vacina.

No próximo dia 20 de fevereiro, quinta-feira, às 14h, no Sindicato Rural de Viamão (rua Luiz Rosseti, 331) ocorrerá o seminário “O RS sem vacinação contra a febre aftosa”. Será um momento para os agricultores das regiões próximas tirarem dúvidas.

Deixe seu comentário