“Potencialidades para o município e para o produtor” foi o tema. Foto: Divulgação Emater

Com o tema “Potencialidades para o município e para o produtor”, a Emater/RS-Ascar, em parceria com a Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), realizou nesta terça-feira, 20, uma sensibilização para a adesão ao Sistema Unificado Estadual de Sanidade Agroindustrial Familiar, Artesanal e de Pequeno Porte (Susaf/RS). Voltado a prefeitos, secretários municipais, gestores, médicos veterinários, extensionistas e agricultores, o evento contou com painéis e relatos de experiências, que foram acompanhados de forma virtual por um público de mais de mil pessoas.

Responsável pela principal palestra do dia, a chefe da Divisão de Organização de Agroindústrias Familiares da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) do Governo do Estado, Maluza Machado, forneceu um passo a passo para que as prefeituras possam operacionalizar o Sistema, que permite aos estabelecimentos registrados nos Serviços de Inspeção Municipais (SIMs) o comércio de produtos de agroindústrias familiares em todo o Rio Grande do Sul. Apresentando um histórico das legislações sanitárias estaduais, Maluza destacou a importância da estruturação dos SIMs municipais, que possibilitarão um maior controle de qualidade e a segurança dos produtos ofertados aos consumidores. “Já a formalização do Susaf possibilitará não apenas a abertura de novos mercados, mas também uma maior arrecadação para os municípios que aderirem ao Sistema”, lembrou a representante da Seapdr.

O diretor técnico da Emater/RS, Alencar Rugeri utilizou a metáfora da “cereja no bolo” para se referir às agroindústrias familiares gaúchas. “E quando podemos operacionalizar essa cereja por meio do Susaf, ele se transforma em um produto de altíssima qualidade, extrapolando os limites do município”, comparou. Para Rugeri, o papel da Extensão Rural e dos gestores é o de facilitar esse processo, contribuindo para que as políticas públicas cheguem aos produtores. Já o coordenador técnico da Famurs, Mário Nascimento, reforçou a ação como estratégica para o desenvolvimento, inclusive de outras potencialidades, caso do Turismo Rural.

Deixe seu comentário