Túnel de bambus é um dos locais por onde ciclistas irão passar. foto: divulgação/Emater-RS

Evento busca consolidar roteiro de turismo pelo interior de Montenegro

Neste domingo, 26 de setembro, acontece a Rota Fortaleza de Cicloturismo, em Montenegro. Durante o evento os ciclistas irão percorrer um trajeto passando pelo interior do município. A atividade oferece duas opções de trajetos: uma de 25 km com início às 10h e outra de 50 km com início às 9h, passando por diversas propriedades e locais históricos de Montenegro. Na ocasião também serão duas as opções de pacotes: uma com almoço no valor de R$ 60 e outra sem almoço por R$ 50. O ponto de partida será o Centro de Treinamento de Agricultores de Montenegro (Cetam).

O Rota Fortaleza de Cicloturismo busca ir além de um evento esportivo. De acordo com o extensionista da Emater-RS, Everaldo Vinício da Silva, o objetivo da ação também é fortalecer o turismo rural local, com o incentivo ao exercício físico a partir de uma experiência diferenciada de lazer. “Na realidade, esta é uma forma de aproximar o consumidor e o produtor, gerando renda para a agricultura familiar de forma sustentável e promovendo ainda momentos de descanso e de intercâmbio com a natureza”, afirma. O ponto de parada dos ciclistas para almoço durante o evento será o Orquidário Moreira, na localidade de Fortaleza. A propriedade é administrada pelos agricultores Vera e João Moreira, que contam ainda com a ajuda do filho Solón e da nora Ana Amorim. “Para nós será uma ótima oportunidade para a troca de experiências e para momentos de confraternização”, destaca Vera.

Dona Vera junto do filho Solón e da nora Ana. foto: divulgação/Emater-RS

Trabalhando no ramo de flores desde o ano de 1992, quando receberam uma muda de presente de um amigo, o casal viu o hobby se tornar, com o passar do tempo, uma paixão. “Foi de lá para cá que fomos nos profissionalizando”, recorda Vera, que cita o ano de 2015 como uma espécie de divisor de águas em matéria de investimentos. Antes disso, no começo dos anos 2000, João já integrava o Núcleo Montenegrino de Orquidófilos. O fortalecimento da atividade, a ampliação do mercado, a participação em exposições e o avanço da comercialização fez com que a família passasse a investir tempo integral no cultivo das plantas.

Outro ponto que será parada obrigatória para os visitantes será o Velho Casarão. A propriedade de Anísia e Paulo Roberto Ulrich possibilita aos turistas momentos de contemplação da natureza, com a adoção de terapias alternativas, como a meditação guiada, que é realizada junto a um túnel de bambus. Com uma história que perpassa quatro gerações, o casal tem realizado uma série de reformas na propriedade, que oferece um café colonial em um galpão rústico, com bolos, pães e keschmier. “Pra quem deseja respirar um ar puro e entrar em contato com a memória local é a experiência ideal”, aponta Anísia.

Grupo busca pelo licenciamento
A Rota Fortaleza começou a ser idealizada em 2013, após o interesse dos produtores locais em promover o turismo rural na região. Conforme o diretor de Turismo de Montenegro, Jaime Buttenbender, o objetivo é que o evento que será realizado no próximo domingo seja um marco para a colocação do roteiro no mapa turístico da região. “A ideia de fazer o cicloturismo é para reativar essa rota, incentivar os proprietários de lá a regularizar a sua propriedade e fazer a regularização da rota no Ministério do Turismo, que até hoje nunca foi feito”, destaca Buttenbender.

Passeio ciclístico terá trajetos de 25 km e de 50 km. Foto: divulgação/Sesc-RS

Atualmente o local é considerado roteiro turístico, não uma rota, que precisa de um credenciamento junto ao Ministério do Turismo. Mas um grupo que envolve produtores locais, Prefeitura, Emater-RS e o Conselho Municipal do Turismo está em busca da formalização do percurso de cerca de 50 quilômetros pelo interior do município como rota turística junto ao Ministério. “Nós vimos essa oportunidade de fazer o cicloturismo como uma oportunidade de realmente evoluir essa rota, que vai ser uma rota totalmente dentro do território de Montenegro”, afirma o diretor de Turismo.

Quem coordena o grupo que desde 2013 busca o credenciamento da rota junto ao Ministério é a presidente do Conselho Municipal de Turismo, Claudete Klein. Ela conta que durante o período da pandemia de Covid-19 a proposta evoluiu pouco, mas foi retomada com força neste ano. “A gente já está trabalhando com os papéis para encaminhar a legalização da Rota Fortaleza. Esse é um grande passo que nós estamos dando e vamos até o final deste ano já estar com essa etapa concluída”, destaca Claudete.

A presidente do Conselho Municipal de Turismo afirma que as propriedades locais evoluíram muito nos últimos quatro anos e já contam com uma boa estrutura para receber os visitantes. “O Orquidário Moreira acho que quadruplicou a sua produção. A Cabana do Riacho, o quanto investiu, o Velho Casarão, o quanto melhorou. As propriedades têm qualidade e capacidade para receber. Então o nosso próximo passo depois de registrada a rota é criar um calendário com datas fixas para o turista vir”, afirma Claudete.

Durante o passeio de cicloturismo deste domingo também será possível visitar a Cabana do Riacho, o Sítio da Fortaleza e o Grupo Planta Nativa. Cada participante deverá levar a sua bicicleta. O evento é uma realização do Sesc Monenegro, Associação Ciclística Montenegrina (Aciclomont), Rota Turística Fortaleza, Emater/RS e Cetam, com o apoio da Prefeitura de Montenegro e Belo Sul Viagens e Turismo.

Deixe seu comentário