Valeta ainda não foi concluída e água parada preocupa moradores do redor

Um problema constante do interior se repete mais uma vez. Pode parecer uma matéria que já foi lida, porém é a realidade de muitos montenegrinos que ainda precisam se preocupar com a água transbordando em arroios e valetas. Em Campo do Meio, o arroio Mãe Rosa tem trechos problemáticos, que chegam a levar água dentro da casa de muitos que ali vivem.

A moradora Claudete da Silva é uma das que têm a casa invadida quando chove. “Não é na nossa terra que o arroio entope, não é na nossa terra que ele coloca água para fora, mas a água vem vindo e já entrou quatro vezes dentro da minha casa, e olha que a minha casa não é baixa”, diz.

Preocupada com o inverno e os tempos de chuva que logo estão para chegar, Claudete relata que há um pedaço específico do arroio que fechou com o tempo, e sempre que chove muito alaga em outros pontos. “Ali para dentro eles alegam que antes não podiam entrar, porque a máquina não entrava que era molhado. E agora que está seco e o terreno limpo, a gente queria que eles abrissem o arroio que chegou a ficar fechado muito tempo”, fala. Segundo ela, faz cerca de 10 anos que o arroio continua fechado neste ponto.

Além disso, também há outra preocupação. Uma valeta não concluída, que de acordo com Claudete sempre que chove dá problemas aos moradores de Campo do Meio. “A gente só queria que eles continuassem com o trabalho, e que limpassem também”, comenta.
Questionada sobre esse ponto do arroio Mãe Rosa e da valeta não concluída, a secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural relatou que neste momento as máquinas estão na execução de abertura de poços de dessedentação devido à escassez de água para produtores rurais. Além disso, foi explicado que o arroio Mãe Rosa em questão foi desassoreado em alguns trechos e em outras partes não foi executado a limpeza porque os proprietários não autorizaram a realização do serviço.

Deixe seu comentário