Em Montenegro, dois novos poços devem beneficiar cerca de 250 famílias nas localidades de Campo do Meio e Rua Nova

Campo do Meio e Rua Nova serão as localidades contempladas

O governo do Estado, por meio da Secretaria de Obras e Habitação, está realizando a perfuração de poços em 79 municípios. No Vale do Caí, Montenegro e Harmonia serão as cidades contempladas. Os serviços estão sendo realizados em municípios que tiveram o decreto de emergência devido à estiagem reconhecido pela Defesa Civil em 2020.

Duas localidades do interior de Montenegro serão contempladas com a perfuração dos poços, Rua Nova e Campo do Meio. Conforme a Secretaria de Obras do Estado, em Campo do Meio cerca de 50 famílias serão beneficiadas. Já em Rua Nova a expectativa é que a água do novo poço perfurado possa chegar à casa de até 200 famílias.

Até o momento o Estado repassou R$ 70 mil para os 79 municípios já contemplados, com impacto de 7 mil famílias beneficiadas. Os recursos são do governo estadual e fruto de repasse da Assembleia Legislativa à Secretaria de Obras e Habitação.

Conforme o diretor do Departamento de Poços e Redes do governo do Estado, Luiz Henrique Feijó, a expectativa é que os poços sejam perfurados até o final do ano. “10 municípios já executaram a obra do poço tubular profundo. Outros 35 já terão as obras concluídas em setembro e a projeção é que os 79 municípios estejam com as obras finalizadas até o final de 2021”, afirma Feijó.

A Secretaria de Obras do Estado informou à reportagem que a perfuração dos poços em Montenegro está na fase de tratativas de contratação da empresa perfuradora. Conforme a pasta, não haverá contrapartida por parte da Prefeitura, mas o município deverá promover o bombeamento, o reservatório e a rede de água dos poços perfurados nas duas localidades.

Com água contaminada, poço perfurado na comunidade não pode ser utilizado para o abastecimento da escola

Escola da Rua Nova sofre há anos com problemas no abastecimento de água
A perfuração do poço na localidade de Rua Nova deve solucionar um problema antigo de abastecimento na EMEF Etelvino de Araújo Cruz. Hoje a instituição é abastecida cerca de uma vez na semana por um caminhão pipa da Corsan.

O diretor da escola, Rodrigo Teixeira, conta que a falta de água potável sempre foi um problema para a instituição. “Eu estou aqui há 16 anos e sempre teve esse problema. A água da escola nunca foi tida como potável, então o que se tinha antes era um poço, mas sem tratamento. E desde que começaram a analisar essa água sabe-se que ela não é potável”, afirma.

A escola possui atualmente duas caixas d´água, uma de 10 mil litros e outra de 5 mil litros, que são abastecidas com a água trazida pela Corsan. “Quando eles vêm, enchem as duas, que dá 15 mil litros de água. Mas isso quando a escola está a todo o vapor dá para uma semana. Quando a água atinge um nível baixo eu mando mensagem para repor, porque às vezes demora um ou dois dias pra vir, porque eles dependem do caminhão pipa”, conta o diretor.

Na escola estudam 284 alunos
Um poço chegou a ser perfurado pela Corsan na localidade através do programa do governo do Estado, mas devido à contaminação não foi possível usar a água. O diretor conta que a escola chegou a usar a água do poço por um tempo para serviços de limpeza. “O que acontecia no nosso banheiro é que criava um precipitado amarelado, isso vinha na água. Na época a gente só podia utilizar a água para os banheiros e mantinha uma bombona para consumo dos alunos. Tinha a água do poço, mas não era pra tomar”, relata o diretor.

O novo poço dever ser perfurado em outro local, em uma área de terras doada por um agricultor da localidade. A notícia foi comemorada pela direção da escola. “Pra nós vai ser maravilhoso, seria muito importante essa vinda do poço. A água aqui pra nós é muito sagrada, então eu coloquei nos dois banheiros aquelas torneiras que fecham sozinhas pra não ir água fora. Pra nós hoje é essa água que vem no caminhão, uma água cara, tratada, potável”, afirma.

Reunião discute instalação do poço em Campo do Meio
Uma reunião realizada na última quarta-feira, 4, com representantes da Prefeitura de Montenegro e da comunidade de Campo do Meio discutiu a futura perfuração do poço na localidade. De acordo com o presidente da Comunidade Evangélica de Campo do Meio, Milton Pilger, já há um espaço definido para a instalação da caixa d´água e do poço.

“O lugar para furar o poço e colocar a caixa d´água já está resolvido, seria na entrada do Campo do Meio, na terra de um agricultor que cedeu o espaço”, destaca Pilger. No entanto, o debate girou em torno da instalação da rede, a comunidade alega não ter recursos para a compra dos canos.

“Nós estamos agora tentando recurso para os canos, porque não adianta fazer o poço se não tem os canos, a comunidade não tem como pagar”, afirma o presidente da Comunidade. Conforme Pilger, a Prefeitura agora irá buscar recursos para a instalação da rede de água na comunidade.

“Estamos esperando, vamos ver o que vai dar. Porque a nossa água não está muito boa, tem gente que tem água ruim, que já furou vários poços”, relata Pilger.

Deixe seu comentário