Produtores contam com boas condições climáticas em prol de quantidade e qualidade. FOTO: ARQUIVO/JORNAL IBIÁ

SÓ EM MONTENEGRO. Colheita será oficialmente aberta em junho

Após um 2020 difícil, de perdas de até 40% da produção em Montenegro devido a estiagem, a colheita da bergamota em 2021 começou com boas expectativas. A previsão do escritório local da Emater é pela colheita de 54 mil toneladas da fruta, uma média de 20 toneladas por hectare plantado. “Mas a colheita tá no início, tudo depende muito do clima”, pondera a extensionista Luísa Leupolt Campos. “Precisamos de precipitação regular, para não deixar o solo seco, e uma boa amplitude térmica, com temperaturas menores à noite e um pouco maiores durante o dia, pois isso afeta positivamente coloração e sabor.”
Segundo o secretário municipal de Desenvolvimento Rural, Ernesto Kasper, o período de estiagem no início deste ano – ainda que longe do registrado ano passado – pode afetar um pouco da qualidade da fruta. “Mas não vai se perder volume. Agora, o clima está ajudando e até teria que chover mais, mas está dando conta de a produção continuar crescendo”, comenta. “Em outras regiões do Estado está mais complicado, onde acabaram pegando geada na floração; outros onde a estiagem está mais forte”, acrescenta.

Confirmando a tendência de arrancada com preços mais altos, a bergamota Caí começou a ser comercializada a R$ 45,00 a caixa de 25 quilos. Agora, está a R$ 35,00. “Teve uma queda bem grande”, analisa a presidente da Associação da Citricultura do Vale do Rio Caí (Acvarc), Elisandra Kehl. “A montenegrina, a gente tem expectativa dela arrancar o mesmo valor do ano passado, que foi entre R$ 45,00 e R$ 50,00 a caixa.”

Montenegro está entre os dez maiores produtores de bergamota do Rio Grande do Sul. A nível de Brasil, o Estado fica atrás de São Paulo e Minas Gerais, representando 15% da produção nacional.

Tradicional evento de abertura será em formato on-line
A tradicional abertura estadual da colheita de citros, que ocorre em Montenegro, foi cancelada no ano passado, muito no início da pandemia. Neste ano, ela vai ocorrer, mas de forma on-line. Está marcada para o dia 8 de junho, data em que se comemora o Dia do Citricultor. A transmissão será pelo canal do Youtube da Emater/RS-Ascar.

“É uma adaptação que todo mundo está tendo que fazer com a situação da pandemia”, explica o secretário municipal de Desenvolvimento Rural, Ernesto Kasper. “Nós temos uma comissão municipal, onde entra a Emater, as associações, as cooperativas; e nós fizemos reunião pensando num formato. Então, chegamos a esse modelo de fazer o evento através de tomada de depoimentos.”

Estão sendo produzidas imagens pelo Estado sobre a produção de citros; que serão apresentadas no evento. Daqui do Município, será a propriedade da família de Elisandra Kehl, na localidade de Fortaleza, que representará Montenegro. O avô do esposo dela foi o descobridor da bergamota montenegrina; e o material deve contar um pouco dessa história. A transmissão começa às 19h.

Deixe seu comentário