Comunidade aguarda reparo na estrutura para colocar segundo poço em funcionamento

Conclusão da obra irá possibilitar que associação amplie rede de água para parte da Costa da Serra

Um problema que se arrasta desde 2020 pode estar próximo de ser solucionado. Trata-se da conclusão da estrutura da caixa d´água da rede de abastecimento da Associação Comunitária de Bom Jardim.
Na localidade existem dois poços perfurados, mas somente um atende a comunidade. A colocação do segundo poço em funcionamento seria a solução para acabar com as constantes faltas de água.

Em 2020, ainda na gestão passada, a Prefeitura iniciou a realização da obra que deveria solucionar o problema. A Associação Comunitária arcou com a compra da bomba e do encanamento, já a Administração Municipal se encarregou de fazer a obra, mas o que seria uma solução acabou se tornando uma dor de cabeça ainda maior para a Associação Comunitária da localidade.

No início desse ano, durante uma visita de técnicos da Corsan ao local, foi constatado um problema na estrutura da caixa d`água construída pela Prefeitura. Ela deveria ser capaz de suportar o peso dos 20 mil litros, o que não ocorre. Desde então a comunidade tem cobrado da Administração Municipal uma solução.

A presidente da Associação Comunitária de Bom Jardim, Noemi Silveira da Motta, relata que a busca por uma resposta tem sido constante, mas até agora não recebeu um prazo para conclusão do reparo da estrutura.

“Eu estive conversando com o Prefeito no início do ano e ele prometeu que seria resolvido, mas agora estão atirando um para o colo do outro. Me passaram que o responsável agora seria o secretário de obras, mas ligo e ninguém atende. Ontem mesmo eu liguei e ninguém me atendeu. Um secretário tem o dever de atender o telefone”, desabafa Noemi.

Desde o fim do Verão a falta de água não foi mais registrada na comunidade. A presidente da Associação Comunitária destaca que isso acontece porque neste período há menos consumo do recurso, além do desperdício também ter diminuído entre a população da localidade. Mas a preocupação agora é com o fim do Inverno, quando a demanda pela água aumenta.

“Se eles (Prefeitura) não derem um jeito naquela caixa d´àgua, agora em setembro o pessoal começa a ficar mais em casa, começa a fazer lavoura, começa a fazer horta, começa a fazer muita coisa. E aí eles vão esperar o problema voltar, já faz seis meses que eles estão nesse rolo”, afirma Noemi.

Único poço em funcionamento na comunidade não dá conta da demanda de água dos moradores

O que diz a Prefeitura
Segundo o secretário municipal de Desenvolvimento Rural, Ernesto Kasper, a obra começou através de funcionários da Prefeitura, mas acabou sendo concluída por apenados do regime semiaberto, nos últimos meses de 2020.

Conforme o secretário, aparentemente, o problema está na execução da obra, que não teve o acompanhamento técnico adequado. “Não podemos afirmar, mas, ao que parece, houve uma conjunção de fatores, como a entrega a pessoas que não tinham a técnica e o conhecimento necessário e a falta de acompanhamento por profissional habilitado”, destaca o secretário.

Questionado sobre o valor investido pela Prefeitura na obra o secretário afirmou não ter essa informação, pois tanto o material quanto a mão de obra eram próprios e não há registros sobre os quantitativos empregados. A reportagem perguntou ainda se há a possibilidade de alguma responsabilização dos culpados pelo erro na execução da obra. “Cabe ressaltar que a Administração não está interessada em apontar culpados, mas em resolver o problema”, destacou Kasper.

Sobre o prazo de conclusão da obra, Kasper informou que a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural (SMDR) já abriu o processo para a compra do material necessário para a adequação da estrutura, conforme orientação técnica do eng. Daniel de Vargas e material solicitado pelo responsável Wesley Simôes, do DSURB. “Os recursos para a compra do material serão do Fundo de Gestão Compartilhada, onde a gestão é feita em parceria com a Corsan. Estimamos concretizar a compra do material no prazo de 30 dias. A execução dos serviços será coordenada pelo eng. Daniel e operacionalizada com os servidores do DSURB”, afirmou o secretário.

Associação quer expandir rede de água para Costa da Serra
A conclusão da obra, além de por fim à falta de água para a comunidade de Bom Jardim, poderá beneficiar parte da localidade de Costa da Serra. A presidente da Associação Comunitária, Noemi Silveira da Motta, revelou que há um planejamento para expansão da rede de abastecimento de água para parte da Costa da Serra.

“Temos interesse de levar água até onde a outra rede da Costa não vem. Na Vila dos Trilhos ninguém tem água potável, é tudo água de vertente. Então o interesse nosso é levar água para o pessoal dali”, afirma Noemi.

A ideia ainda está em construção, mas Noemi destaca que com o segundo poço funcionando seria possível atender essa parte da comunidade de Costa da Serra, sem prejuízo ao abastecimento da rede de Bom Jardim.

Deixe seu comentário