Plano deve ser uma construção coletiva e com projeção em longo prazo

Fortalezas. Diretrizes que vão definir rumos partirão de muitos pontos positivos

A construção coletiva do Plano de Desenvolvimento Rural de Montenegro começou a superar mais uma etapa. Reunidos na noite de terça-feira no campus da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), produtores rurais, representantes de entidades e organizações sociais, Emater, Centro de Treinamento (Cetam), Unisc, Brigada Militar (BM) e Prefeitura revisaram os itens apontados no diagnóstico elaborado em fevereiro. Neste primeiro encontro foram revisadas apenas as listas das qualidades e das possibilidades para o Setor Primário. Na próxima segunda-feira será a vez de discutir as fraquezas e aquilo que mais preocupa.

O relatório que servirá de norte na elaboração do inédito Plano é chamado de F.O.F.A. – Fortalezas, Oportunidades, Fraquezas, Ameaças. E a avaliação da primeira lista permite empolgação, pois foi fechada com 14 itens que qualificam a Agricultura de Montenegro. Da mesma forma, as 21 Oportunidades que são vislumbradas no horizonte revelam que os produtores estão antenados em ações e projetos capazes de impulsionar o setor. “Oportunidade não é sugestão”, alertou a extensionista rural agropecuária da Emater, Luísa Leupolt Campos.

Para colaborar, o coordenador do escritório da entidade no município, Everaldo Vinicius da Silva, ilustrou que as Oportunidades são “o cavalo encilhado que passa”. Ou seja, são nichos econômicos e projetos de estado em áreas como conhecimento, infraestrutura, financiamento, desenvolvimento e outros que podem ser captados. Desta forma, os itens acabaram inclusive trocando de lado, pois, como alertou a coordenadora Adjunta do Programa de Pós Graduação em Desenvolvimento Regional da Unisc, Cidonea Machado Deponti, as listas não são fixas. Inclusive devem ocorrer novas movimentações durante a avaliação das Fraquezas e das Ameaças.

Tratamento do esgoto é o primeiro projeto
Qualquer agricultor pode participar da construção do Plano, cuja redação será feita pelos ‘facilitadores’ representantes das entidades. Ernesto Carlos Kasper, presidente do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural (Comder) e representante da Ecocitrus, lembra que, ao lado do Cetam, Emater, Unisc e Sindicato, o órgão fez chamamento público no início deste ano.

Relatório confirma que há muita coisa boa em Montenegro

Quanto as diretrizes, assinala que devem incluir segmentos variados, como segurança, saúde, lazer e até acesso à Internet. “É muito mais que a situação das estradas”, observou, sem desfazer desta necessidade. Kasper reconhece as dificuldades de manter um grupo mobilizado durante muito tempo em torno de um debate, sendo uma solução oferecer imediatamente algo concreto.

Neste sentido apresentaram o projeto de tratamento individual de esgoto residencial. O vice-presidente do Conselho Municipal do Meio Ambiente, Rafael Altenhofen, informou que, após promessa da Câmara de Vereadores em repassar verba economizada para financiar a minuta, nesta semana o prefeito Carlos Eduardo Müller e o secretário Rural, Ari Müller, apoiaram os trabalhos.

O projeto prevê que cada residência tenha uma estação de tratamento de resíduos cloacais, ecológica e seguindo diretriz de preservação das bacias hidrográficas. Como não há rede de esgoto no interior, é preciso descentralizar a destinação através destes módulos de baixo custo. As construções iniciarão pelos agricultores que já aderiram ao sistema de cultivo ecológico.

Mudanças nos itens ainda estão em aberto
Entre as alterações propostas terça-feira podem ser destacadas as inclusões das rotas turísticas; da Casa do Produtor Rural; da riqueza hídrica; o trabalho do Cetam, da Emater e dos técnicos da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural (SMDR); e da Escola da Brigada Militar entre os aspectos que fortalecem Montenegro. Foram ressaltados ainda os 18 Grupos Organizados do Lar (GOL) e a importância das 14 Escolas Rurais como centros aglutinadores das comunidades.

Ficou claro que a exploração turística também terá atenção no Plano. E na adequação das listas apareceu ainda Escola do Aeroclube como Oportunidade a ser aproveitada. Essa segunda lista inclusive recebeu definições em itens como qualificação e acesso à assistência técnica através de entidades como Senar, Unisc e a Escola Família Rural. E novas trocas de lugar ocorrerão na próxima segunda-feira quando serão colocados na mesa os problemas.

Próxima reuniãoQuando: Segunda-feira – dia 16
Horas: 19h30min
Onde: Campus da Unisc Montenegro – bairro Zootecnia

Deixe seu comentário