Matheus Machado levou seus animais para vacinar pela primeira vez

Ação social foi realizada no mutirão promovido pelo Grupo Amigos do Cavalo

Dentre relinchos e galopes diversos carroceiros e donos de cavalo se encaminharam na noite desta quarta-feira, 4, para o Rancho Herança e Terra. Na oportunidade, o Grupo Amigos do Cavalo disponibilizou gratuitamente exames do mormo, anemia infecciosa e vacina contra a Influenza gratuitamente para os donos de carroças da cidade, além de cobrar apenas R$ 120,00 para os demais interessados. Normalmente, eles variam entre R$ 250,00 e R$ 300,00.

A ação faz parte da Semana do Cavalo, que ao total, teve 203 animais atendidos desde a última sexta-feira, 28. Com o objetivo de unir os tradicionalistas para deixar em dias os exames dos seus cavalos, o trabalho foi intenso e o resultado positivo. “Alcançamos o objetivo e estamos todos muito felizes”, diz o presidente do grupo, Paulo Schneider.

A programação também contou com diversas palestras educativas, que tiveram o fechamento na noite desta quinta-feira, 5.
Segundo ele, a expectativa era dar uma chance para que os cavalos tenham os exames em dia antes do rodeio de Montenegro que se aproxima, e já mirando em outros eventos como a Semana Farroupilha. “No último ano o desfile foi uma vergonha para nós, que gostamos de cavalo. Achávamos que teríamos o suporte da Prefeitura e a gente não teve”, comenta.

Nessa ação social a Prefeitura também não ajudou, e de acordo com Paulo foi devido a tempo hábil. Segundo a Inspetoria do Estado, no Rio Grande do Sul essa é a primeira vez que é dado gratuitamente os exames e a vacina, e Paulo declara que o Grupo entende que muitos tem necessidade, cada um de uma forma. “Muitas vezes as pessoas aqui na cidade falam que se não tem condições de ter cavalo que não tenha, mas tem muita mãe que também não tem condições de ter três ou quatro filhos e tem. Muitas pessoas consideram o cavalo como um filho, no meu caso mesmo meu cavalo é como um filho, se tiver que fazer o possível e o impossível eu faço”, completa.

Mais de 200 animais foram atendidos com exames e imunizações na região durante a Semana do Cavalo

Primeira oportunidade
Para muitos carroceiros que levaram seus cavalos no mutirão, essa foi a primeira oportunidade de realizar os exames. Grande parte de baixa renda, os trabalhadores comemoraram a chance de terem esses cuidados com os seus animais.

Matheus Machado, 19, trabalha com reciclagem e levou seus dois cavalos para fazer pela primeira vez os exames e a vacina. “Vai fazer uns três anos que tenho eles, e uso direto pro trabalho. Eles nunca adoeceram, eu cuido bastante”, diz. O jovem cuida os cavalos como filhos, e informado por um amigo, não titubeou em ir. “Achei importante. É uma novidade, agora vou ter tudo certinho no papel”, fala Matheus.

Parado tranquilamente na carroça, estava o cavalo Coringa, de Alexandre Machado, 34, que diariamente conta com a ajuda do companheiro para trabalhar com reciclagem. Há dois anos com Alexandre, essa é a primeira vez que o animal realiza os exames. “Nunca tinha feito esse exame, mas sempre dei remédio e vacina quando precisou. Ele é bem cuidado”, explica.

Assim como muitos que ali estavam, Coringa é tratado como um membro da família e adorado por todos. “Nós cuidamos dele como se fosse uma pessoa. Essa ação foi uma ideia muito boa, porque ajuda a gente. Tem vezes que não temos condições de fazer [exames] e isso é sem palavras”.

Deixe seu comentário