É possível perceber traçado da estrada elevado e a água parada na valeta

O secretário municipal de Desenvolvimento Rural (SMDR), Renato Caiaffo da Rocha, deve verificar nesta quarta-feira, dia 20, o resultado de uma obra de desassoreamento realizada recentemente em Campo do Meio. In loco, ele quer compreender melhor a situação relatada por moradores ao Jornal Ibiá, na qual se queixam de água parada na valeta ao lado da estrada Getúlio Vargas (junto à bifurcação que leva a Lajeadinho).

Segundo um cidadão que preferiu não se identificar, o serviço foi realizado há cerca de dois meses, mas somente com a chuva da semana passada foi possível ver o resultado. Basicamente, consiste em uma rede de canos atravessando a estrada para escoar o excesso de água para dentro de um potreiro particular. A valeta que seria drenada fica no lado esquerdo do sentido Campo do Meio/ Alfama, e deveria despejar no lado oposto.

O que os moradores observam é que os canos sob a Getúlio Vargas foram colocados acima do nível do curso d’água, tanto que deixou o traçado da via com uma ‘lombinha’. Ou a valeta pode ter sido escava muito fundo. Seja como for, agora há uma grande quantidade de água parada em frente às residências, perto da escola da comunidade. O problema neste trecho é antigo e tem relação com o escoamento do arroio Mãe Rosa. Inclusive o Ibiá já fez outras reportagens a respeito deste entorno, a mais recentemente no dia 16 de abril.

Deixe seu comentário