João Paulo Orth, presidente da associação comunitária de Muda Boi, mostra poço em funcionamento

Comunidade conviveu com falta de água nas torneiras desde novembro do ano passado

desde o final de dezembro – sofrendo com constante falta de água, os moradores da localidade de Muda Boi, em Montenegro, tiveram o problema solucionado.
Nesta semana o segundo poço que havia sido perfurado em 2017 pelo programa do governo do Estado foi finalmente colocado em funcionamento, solucionando o problema da escassez de água na comunidade.
“Ficou meses sem água nenhuma durante o dia, vinha um pouquinho de noite e depois não vinha mais”, relata Homero Azevedo, morador de Muda Boi. Para Azevedo, a solução da constante falta de água representa uma nova vida. “Ficou muito bom agora, está ótimo. Porque nesses calorões têm que ter água para as pessoas viverem, né. Então melhorou 100%”, afirma.

O presidente da associação comunitária de Muda Boi, João Paulo Orth, conta que a solução veio após a mobilização da comunidade. “A comunidade se mobilizou para buscar junto à Prefeitura uma ajuda para colocar o segundo poço para funcionar, mas por enquanto financeiramente a Prefeitura não ajudou em nada ainda. Até o momento somente a Corsan está nos auxiliando, mandando água três vezes na semana e na montagem do poço também”, afirma Orth.

Homero Azevedo comemora volta da água após cinco meses de escassez

Conforme o engenheiro responsável pela operação da Corsan em Montenegro, Ângelo Marcelo Faro, a Prefeitura solicitou ajuda no abastecimento de água da comunidade com fornecimento de carros pipa. A empresa passou então a disponibilizar água três vezes na semana, mas como o abastecimento desta forma não é efetivo, não resolvendo o problema, apenas amenizando, uma solução definitiva passou a ser buscada.

“Baseado nestes fatos foi proposta uma parceria entre Corsan, Prefeitura e comunidade para a montagem e início de operação deste poço, buscando solucionar os problemas de falta de água. Nesta parceria, a Corsan participaria com a montagem do poço, fornecendo a mão de obra e equipamentos, e colocou os materiais necessários a esta montagem, a título de empréstimo destes materiais, os quais deverão ser devolvidos para a Corsan por ocasião da conclusão dos processos de compras”, destaca Faro.

Essa devolução terá de ser feita pela associação comunitária. Na parceria, a associação comunitária ficou responsável também por buscar a instalação da rede trifásica, que é necessária para o funcionamento do poço.

Relembre o caso
Conforme o presidente da associação comunitária, João Paulo Orth, a falta de água em Muda Boi teve início no final do ano passado, após um vazamento encontrado na rede. A associação solicitou ajuda à Corsan para identificação do local onde estava acontecendo o problema. No entanto, mesmo após a solução do vazamento, a falta de água continuou. Com o aumento do consumo durante o Verão, o único poço que abastecia as 155 casas ligadas a rede não foi suficiente para atender a demanda.

A solução encontrada foi colocar em funcionamento um segundo poço que já havia sido perfurado em 2017 através do Programa de Perfuração de Poços (PAP) do governo do Estado. Uma parceria entre a associação comunitária de Muda Boi, Corsan e Prefeitura viabilizou a colocação do poço em funcionamento.

Inicialmente o empecilho era a instalação de uma rede trifásica para colocar em funcionamento a bomba e os equipamentos mecânicos e elétricos do poço. A associação comunitária ficou com a missão de solicitar custear a instalação. No início de fevereiro a a entidade realizou a solicitação de instalação da rede trifásica para a cooperativa Certaja, responsável pela distribuição de energia na localidade. No entanto, o prazo para a realização do serviço era de 30 a 45 dias. Para agilizar a colocação da rede trifásica o presidente da associação comunitária conta que recebeu a ajuda do vereador Paulo Azerede (PDT), que esteve reunido com representantes da Certaja para buscar agilizar a realização do serviço.

Com a rede trifásica já instalada, coube então à Corsan realizar a montagem do poço e o fornecimento da mão de obra e equipamentos para colocá-lo em funcionamento. A última etapa do serviço foi realizada nesta quinta-feira, 15, pelos profissionais da empresa, com a colocação da linha de comando automatizado da bomba, dando início à operação do poço.

Deixe seu comentário