Vice Ivonei Pires foi entrevistado no primeiro Estúdio Ibiá de 2022

Eleição. Nova direção da Associação Comunitária toma posse nesta sexta

Uma das importantes comunidades do interior de Montenegro, forte no plantio de citros e melancia, Muda Boi tem mazelas que ainda precisa solucionar. Estes desafios serão liderados pela nova direção da Associação Comunitária, eleita em dezembro e que tomam posse nesta sexta-feira, dia 7. Com chapa única no pleito, foram conduzidos José Inácio Frank ao cargo de presidente e Ivonei Pires da Silva como vice. O secretário é Lucas Souza; o segundo secretário, Cristian Azevedo; primeiro tesoureiro João Orts e segundo, Massimino Poncio.

O vice, Ivonei, participou do programa Estúdio Ibiá, em que concordou que o revezamento nos cargos feito entre as mesmas pessoas revela falta de entusiasmo em participar. Ele avalia que o fato de uma associação exigir dedicação voluntária tira o interesse. Questionado em relação à demanda mais urgente, foi enfático. “Acredito que seja água potável”.

O problema se mantém apesar da conquista do segundo poço artesiano, no ano passado. Atualmente, a Associação do Muda Boi reúne 500 pessoas, mas registra apenas 162 residências ligadas à rede comunitária. Segundo Ivonei, existe um projeto de extensão da rede para mais 20 famílias, mas que está parado. Inclusive, haveria canos comprados e que estão na Corsan, em Montenegro. Mas ele revela complexidade neste projeto, pois precisa fazer a travessia subterrânea da RSC-287. Além desta obra, pede ainda uma bomba para dar vazão e um reservatório para aquela região afastada.

E justamente a rodovia é outra problemática, de convívio inevitável. A rodovia que corta a localidade carece de melhorias no asfalto, nos acostamentos e nos acessos as estradas interioranas. Em relação aos degraus entre asfalto e terra, ele mesmo já entregou reivindicação à Prefeitura, mas que informou que não pode investir na “área de domínio do Daer”.

O vice-presidente ressalta que controladores de velocidade, em especial no trecho em frente ao posto de saúde, devem acompanhar qualquer obra. “Continua crítico! No período de aulas, quando começa, fica cada vez mais perigoso”, declara.

Ampliação da Escola é inevitável
Para reduzir a travessia e circulação de alunos pelas estradas e rodovias, a solução é ampliar a Escola Municipal Manoel José da Motta. Ivonei aponta que o educandário tem apenas séries iniciais (4º Ano), o que cria deslocamento de crianças para Costa da Serra e Zona Urbana de Montenegro.

Em termos de estrutura viária, se repete o problema das estradas visto em todas as comunidades do interior. A última manutenção foi há cerca de dois meses, mas o vice-presidente observa que, nessas passagens, a patrola não deve revirar o piso firmado, mas apenas espalhar material novo. “Estrada é difícil manter como eles vem fazendo”, alerta.

Na semana passada, a comunidade recebeu atenção da Secretaria de Desenvolvimento Rural, que atendeu reivindicação de limpeza na valeta em frente ao ginásio. Isso permite à Associação iniciar ação para que seja construído um campo de futebol ao lado da estrutura. Ivonei diz que tem mantido bom diálogo com o prefeito Gustavo Zanatta, que espera que seja mantido com a Associação. “Vamos assumir dia 7, então vai ser hora de bater na porta do prefeito e exigir nossos direitos”, frisou.

Deixe seu comentário