Certamente, os agricultores têm muito a sugerir para melhorar suas condições. Foto: Arquivo Jornal Ibiá

Montenegro vai entrar 2020 ainda sem possuir um Plano Municipal de Desenvolvimento Rural, em que pese que o Setor Primário seja de grande importância para sua base econômica. Pensando em cobrir essa lacuna, Emater, Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural e Secretária Municipal de Desenvolvimento Rural iniciarão amanhã uma mobilização de diversos setores. A construção do Plano será debatida a partir das 13h30min do dia 14, no Campi da Unisc Montenegro (bairro Zootécnia), entidade que também está engajada no projeto.

O coordenador da Emater Montenegro, Everaldo Vinicius da Silva, reitera que este primeiro encontro será a reunião de agricultores, sindicatos, entidades de apoio, associações e órgãos de governo em torno da compreensão do que é esta normativa. “Para conscientizar de como se constrói e quais os benefícios de se ter um Plano de Desenvolvimento Rural”, salienta. Algo que o setor precisa ter bem claro é que o Plano será seu “catecismo”, definindo prioridades que serão independentes das mudanças de governo.

Também por isso, instituições que não têm o campo com objeto fim, mas têm relação com ele, farão parte. Um bom exemplo é Brigada Militar (BM), que foi conclamada a contribuir no quesito Segurança Pública. O presidente do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural (Comder), Ernesto Carlos Kasper, salienta que esta é uma oportunidade para aprimorar a participação da comunidade em geral dos conselhos.

O representante da Ecocitrus no Conselho observa que é através deles que o cidadão pode criar diretrizes que servirão de ferramenta para o gestor público. “Essa é a grande dificuldade: sair da percepção do ‘o que eu preciso’ para ‘o que nós necessitamos’”. E, segundo ele, com essa sensibilidade para interação respeitosa entre governo e comunidade é que será possível construir um planejamento rural para longo prazo.

Unisc promove apoio Ao desenvolvimento regional

A Unisc terá participação ativa na construção do Plano, seguindo sua missão de apoiar o desenvolvimento das regiões em que está inserida. A coordenadora Adjunta do Programa de Pós Graduação em Desenvolvimento Regional e doutora em Desenvolvimento Rural, professor Cidonea Machado Deponti, observa que a agricultura é fundamental nesta pauta. “Temos informações do último Censo de que temos 9.416 unidades de agricultura familiar no Vale do Caí”, revela.

Cidonea defende um Plano dentro do qual essas pessoas se encontrem; legitimando suas demandas ao definir um norte ao setor. Da mobilização desta quinta-feira sairá o grupo de planejamento do Plano de Montenegro. O encontro contará ainda com relato de agricultores do município de Morro Reuter a respeito de como ocorreu a elaboração do seu regramento municipal.

Deixe seu comentário