Servidores, médicos e atuais integrantes da Oase (D) são o alicerce desta casa de saúde pública

Referência para 14 municípios do Vale do Caí, seus 150 leitos são destinados só ao SUS

Neste sábado, dia 22 de fevereiro, o Hospital Montenegro (HM) – 100% SUS – completa 89 anos de fundação (1931). Uma instituição de importância regional que nasceu do comprometimento de mulheres da comunidade, ao perceberem o momento de a cidade ter uma casa de saúde, inclusive pensando em seu futuro. Esta memória foi resgata na cerimônia de aniversário realizada sexta-feira, 21, que foi voltada unicamente à equipe de funcionários como forma de valorizar quem hoje, de fato, faz o HM.

A iniciativa de criar um hospital partiu das integrantes da Ordem Auxiliadora das Senhoras Evangélicas (OASE), que segue sendo a mantenedora nos dias atuais. A primeira sede já foi construída na esquina entre as ruas Assis Brasil com Osvaldo Aranha, no Centro, em terreno doado pela família Jahn, especialmente pela senhora Guilhermina Jahn. A atual presidente da Oase, Eliane Leser Daudt, exaltou a coragem das precursoras, assinalando que faziam um trabalho tão discreto quanto abnegado, tanto que quase não existem registros sobre elas.

Lembrou do primeiro paciente internado, em março de 1931, poucos dias após a inauguração. Falou também de sua mãe, Morena Leser, presidente da Ordem entre 1962 e 1979 que assinou a compra do primeiro raio-X, importado da Alemanha que, na época, custava uma verdadeira fortuna. “Lembro dela sentada na sala lá de casa, chorando e suando”, descreveu, a respeito do nervosismo diante do compromisso assumido. O relato histórico foi trazido também pela Senhora Nadir Dias, presidente que por mais tempo se manteve à frente da Ordem. Foram 20 anos, entre 1979 e 1999, período de grande tensão devido às dívidas.

Há muito carinho envolvido nesta história de sucesso

Ampliações e melhorias para uma vida longa
Outro convidado a usar a palavra foi o médico Ubirajara Resende Mattana, ex-prefeito de Montenegro, duas vezes superintendente do HM e ainda hoje médico do trabalho da equipe. Ele comparou a primeira vez que entrou na casa de saúde com os dias atuais da instituição, de onde ela chegou e o que representa para o Vale do Caí.

O atual diretor administrativo, Carlos Batista, declarou que hoje é o momento ideal para planejar os próximos 89 anos. Apesar da batalha mensal para garantir o custeio, maior obstáculo na Saúde Pública, mostrou uma tranquilidade garantida pelo quadro de servidores, que classificou como ótimo; e os avanços estruturais e tecnológicos.

Recentemente, a maternidade instalou novos condicionadores de ar, doados pelo Rotary Clube Montenegro. Agora, está em andamento a reforma e ampliação de 12 quartos da internação (R$ 350 mil); que na segunda etapa ampliará os outros 10 leitos (R$ 250 mil).

Em março deve iniciar construção do Centro de Obstetrícia e de Parto Natural, com valor de R$ 1 milhão já garantido. A cozinha e o vestiário dos servidores também serão reformados, com orçamento de R$ 510 mil. Outra grande notícia é a ampliação da Emergência em 400 m², com R$ 500 mil conquistados pela comunidade na Consulta Popular de 2018.

Atendimentos
Em 2019, o Hospital Montenegro 100% SUS realizou 241.496 atendimentos: 141.686 exames laboratoriais, 33.670 exames de imagem, 31.311 procedimentos na Emergência, 28.419 consultas eletivas, 5.347 internações e 1.063 partos. Hoje atuam são 462 funcionários

Deixe seu comentário