Morador do bairro Progresso, na rua Jorge Guilherme Moojem, n° 532, Ismael Santos de Azevedo tenta resolver, há algum tempo, o problema de uma galeria que passa na lateral do seu terreno. Lixos, animais indesejados e até risco de comprometer a estrutura da casa são algumas complicações. De acordo com ele, já foram abertos protocolos junto à Prefeitura Municipal, inclusive por vizinhos, mas até agora apenas promessas; nada foi resolvido.

“Já vieram vereadores e até o presidente da Câmara aqui olhar o problema. Em agosto, a assessoria do prefeito nos deus um prazo de resolução de 15 a 20 dias, mas nada foi feito. E como o terreno é de família, há 60 anos, foram as outras gerações, dos avôs, que canalizaram aqui. A Prefeitura nunca deu assistência sobre a questão”, pontua.

Em contato com a Assessoria de Comunicação da Prefeitura (ACOM), a reclamação foi encaminhada à divisão e conservação de Serviços Urbanos (DSURB). Como se trata de uma galeria, o diretor da divisão informou que a situação precisará ser avaliada pelo engenheiro da Prefeitura.

Deixe seu comentário