Solidariedade. Com a ajuda das comunidades, comemorações levam alegria para crianças de todas as idades

Não há chuva que segure criança em casa na hora de brincar com os amigos. Ainda bem. Porque no Dia das Crianças muita diversão aguardava por elas em pelo menos duas festas comunitárias realizadas em Montenegro. Cachorro-quente, bolo, docinhos, refrigerante e muitas outras guloseimas alegraram a tarde de chuva. E com brincadeiras e também presentes as crianças festejaram o seu dia.

No bairro Aeroclube, a festa ocorreu no ginásio localizado ao lado da capela, cedido para a comemoração. Andréia Luciana dos Santos, de 46 anos, com a ajuda da comunidade, realiza a atividade todos os anos. Dessa vez, com mais espaço disponível, ela conta que convidou cerca de 200 crianças, mas preparou-se para atender ainda mais. “Para qualquer criança que chegar poder receber seu kit de Dia das Crianças”, diz. O kit reunia guloseimas que toda criança gosta.

Elas também recebiam lanches e podiam utilizar brinquedos alugados para a atividade. “Familiares colaboraram com os brinquedos e tornaram possível a festa”, diz Andréia, que também agradece a Igreja Sagrada Família, que cedeu o espaço e ao padre Ricardo Nienov, que esteve no início da atividade, levando uma benção aos presentes na comemoração. A festa ocorreu diante de imagens de Nossa Senhora Aparecida.

Andréia trabalha como cozinheira e se esforça para tornar possível a festa. Ela conta que o faz porque, em sua infância, apesar das dificuldades, ela pode festejar o Dia das Crianças. “Eles merecem ter. Por isso eu agradeço quem ajuda”, agradece ela. Um dos apoiadores, o proprietário da Polaco Auto Locadora, estava na festa, e resumiu a motivação pelo auxílio. “O início da vida da gente às vezes não é fácil. Então, quando se tem um pouco é bom ajudar. Além disso, nunca é tarde pra ser criança”, comentou ele, que preferiu não dizer o nome.

Associação Floresta lotou com crianças e adultos
A chuva não espantou as famílias da festa pelo Dia das Crianças realizada pela Associação Floresta. Cerca de 200 pessoas compareceram, sendo destas pelo menos 70 crianças. A sede fica localizada no bairro Rui Barbosa, mas crianças de vários bairros participaram. Jussara dos Santos, uma das organizadoras, conta com orgulho que a comunidade se ajudou muito para tornar possível a 21º Festa da Alegria.

Ao entrar, os pequenos recebiam canhotos que podiam ser trocados por itens como pipoca, refrigerante, docinhos e cachorro-quente. E também um número para a retirada de um presente. No palco, número a número, eles eram chamados para ganhar uma bola, boneca, carrinho, bambolê ou o que estivesse por trás de um brilhante embrulho. Os pacotes só não brilhavam mais do que os olhinhos ansiosos por abri-los. Crislaine Alves D’Avila Koch, de 31 anos, moradora do bairro Germano Henke, trouxe os dois filhos. “Eles aproveitam, se divertem e querem pegar seu brinquedo”, comentou ela.

Deixe seu comentário