Já existe procura por alimentos típicos da época

Delícias típicas do mês já estão em destaque nos mercados da cidade

É tempo de pipoca estourando na panela, pinhão tostando na chapa quente de um fogão à lenha e quentão borbulhando. Junho chegou e, com ele, a época das divertidas e saborosas festas juninas. Pé de moleque, paçoca, canjica, pipoca e até quentão sem álcool. Nada disso falta nas tendinhas estrategicamente espalhadas pelos supermercados. Gabrieli Severo, 18, trabalha em um dos mercados da cidade e está satisfeita com as vendas dos pinhões. “Tá saindo bastante”, destaca.

A dona de casa Lurdes Madalena de Souza, 56, está de olho nos produtos. Sobre os valores dos alimentos típicos para uma boa festa, ela é objetiva ao afirmar que sempre dá para aproveitar a época. “Os preços estão médios, mas dá pra fazer festa. Em São José do Sul, sempre realizamos uma Festa Junina que reúne até umas 100 pessoas. Então, minha dica é: se cada um levar algo, nunca fica caro pra ninguém.”

Segundo Gabrieli Severo, no local onde
trabalha os pinhões estão tendo bastante procura

Alguns produtos, como a batata-doce, têm preços mais baixos se comparados com os do ano passado. Outros, como o milho verde, mais comum por aqui no verão, chegam aos mercados vindos de mais longe, o que encarece um pouco ao consumidor. Já no caso do pinhão, a causa da elevação do preço é outra. A polinização dos frutos foi prejudicada, o que impactou na safra, que reduziu à metade no Rio Grande do Sul este ano.

Preços médios
Pipoca: de R$ 2,29 até R$ 3,78 o pacote de 500g
Canjica: – branca: de R$ 2,79 até R$ 5,29 o pacote com 500g
– amarela: de R$ 3,99 até R$ 4,09 o pacote de 500g
Batata-doce: de R$ 1,99 até 2,99 o quilo
Milho verde: R$ 3,59 a bandeja com três espigas
Pinhão: de R$ 7,89 até R$ 14,90 o quilo
Paçoca rolha: de R$ 5,99 até R$ 6,98 o pote com 210 g
Amendoim: de R$ 6,90 até R$ 8,99 o pacote com 500g
Pé de Moleque: de R$ 4,79 até R$ 5,79 o pacote de 200g
Vinho para quentão: a partir de 9,00 o litro
Rapaduras: preços variados

Como economizar no “arraial”
– Pesquise: compare os preços dos estabelecimentos e, também, de produtos similares, além das diferentes marcas;
– Cada um leva seu prato: reúna família e vizinhos e combine de cada um levar um prato típico. Assim, a festa não pesa no bolso de ninguém;
– Customize a roupa típica: o traje caipira, com retalhos xadrez ou estampas, é tradicional, mas não precisa ser comprado especificamente para a festa. Basta aproveitar o que tem em casa;
– Decoração: seja criativo e não gaste desnecessariamente. Bandeirinhas e adereços feitos de material reciclável podem render uma bela decoração, barata e ecológica;
– Festa de escola: quer aproveitar a festa com filhos sem gastar além da conta? Leve exatamente o valor disponível para as brincadeiras e comidinhas típicas. Assim, curte o “arraial” sem estourar o orçamento.

Deixe seu comentário