Vistoria foi feita já em junho, mas, conforme o coordenador, o relatório da engenharia ainda não veio. FOTO: ARQUIVO/JORNAL IBIÁ

quatro meses. Desde o desabamento, reforma do local ainda não foi concluída

Foi um susto quando, ainda na primeira quinzena de junho, parte do forro da agência do Sine em Montenegro desabou. Por sorte, o fato ocorreu durante a madrugada, pois até mesmo a luminária da sala do coordenador da unidade caiu, deixando o espaço interditado por dias. O prédio sofre com infiltrações há anos e, de acordo com a coordenação, a água da chuva acumulou no forro, ocasionando o desabamento.

E já se vão quatro meses sem que o local tenha sido reformado. O problema chamou a atenção de uma usuária, que entrou em contato com a reportagem do Ibiá para questionar a segurança de frequentar a agência.

Conforme o coordenador da unidade, Arnaldo Klein Pegoraro, que assumiu o cargo em setembro, o forro já foi vistoriado por engenheiros técnicos do Sine, mas não há prazo para a correção necessária. “Estamos aguardando o relatório para correr atrás das coisas que precisam ser feitas”, informou. “A primeira coisa a ser feita é retirar parte do forro, que é de gesso, e que, com a infiltração, encharca e pode cair.”

Há tempo que é conhecimento público os problemas da agência em dias de chuva. Quando ela vem em grandes quantidades, baldes precisam ser espalhados ao longo do prédio para aparar a água que verte do teto. O gesso já preteado pela umidade anunciava o risco no ponto onde ocorreu o desabamento.

A manutenção da edificação, no Centro, havia chamado atenção do governo estadual ainda em setembro do ano passado, quando, do lado de fora, um pedaço de concreto se desprendeu da marquise em uma noite de chuva. O prédio, com quase meio século de existência, é do Estado e está cedido à Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social (O FGTAS, que faz a gestão do Sine) até 2021. É compromisso da entidade mantê-lo funcionando e com boa conservação. Na ocasião, o governo colocou à reportagem que daria uma notificação aos responsáveis pelo não cumprimento das regras de cuidado.

Deixe seu comentário