Presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer, durante ato na Praça da Matriz, em Porto Alegre. Foto: CPERS/Sindicato

Essa terça-feira, 13 de agosto, foi marcada por diversas manifestações em todo o País. O terceiro ato convocado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação (CNTE) ocorreu em mais de 140 cidades do Brasil, contra os cortes de 30% no Ministério da Educação, o sucateamento das escolas, o projeto Future-se, e também contra a reforma da Previdência.

Segundo a diretora geral do 5º núcleo da CPERS/Sindicato e professora Juliana Marques Kussler, em Montenegro, as únicas escolas que informaram a sua paralisação foram a Escola São João Batista, em Montenegro; a Escola Erni Oscar Fauth, de Brochier; e a Escola Engenheiro Paulo Chaves, de Maratá. A Escola São José do Maratá, em São José do Sul, paralisou durante a manhã, mas de acordo com Juliana, foi preciso abrir a instituição no turno da tarde.

Professores do 5º núcleo da CPERS/Sindicato participaram do ato em Porto Alegre, na Praça da Matriz. Além da Capital, as cidades de Alvorada, Caxias do Sul, Charqueadas, Farroupilha, Gravataí, Panambi, Passo Fundo, Pelotas, Rio Grande, Santa Maria, Sapucaia do Sul, Três Coroas e Viamão também realizaram manifestações durante o dia de ontem.

Deixe seu comentário