Gladis Ihara da Silva e sua irmã Laci Terezinha Alflen levaram a bandeira nacional na Praça de São Pedro, em Roma, durante o emocionante passeio

Emoção. Para Laci Alflen, de todas as experiências vivenciadas, a mais marcante foi estar próximo ao Pontífice

O Museu de Julieta foi um dos locais visitados pelas irmãs montenegrinas

A dupla de professoras aposentadas Laci Terezinha Alflen, de 68 anos, e Gladis Ihara da Silva, 65, realizou um sonho comum a milhares de brasileiros. As irmãs passaram 22 dias conhecendo as principais cidades turísticas da Itália. Contudo, o momento mais marcante do passeio foi a visita à Praça de São Pedro, no Vaticano, em Roma, local onde estiveram a cerca de dois metros de distância do Papa Francisco. “O dia 16 de maio de 2018 foi o dia mais lindo da minha vida”, avalia Laci.

As irmãs saíram do Rio Grande do Sul, rumo a São Paulo, com um grupo formado por 31 turistas no dia 10 de maio. De lá, partiram para uma das experiências mais marcantes vividas até então. Laci já havia viajado por outros países europeus com Gladis e suas outras irmãs, Depois de conhecer Paris, a Espanha e Portugual, este ano chegou a hora de realizar um antigo desejo. Desta vez, a escolha do roteiro foi definida por um sentimento especial. Conhecer a Itália teve o objetivo maior que descobrir mais sobre seu contexto histórico e apreciar suas paisagens, mundialmente famosas. O grande sonho de Laci era conhecer Francisco.

O Papa Francisco abençoou os fiéis e mostrou simpatia pelo povo

Em 1980, quando o Papa João Paulo II (Karol Józef Wojtyła) esteve no Brasil e visitou Porto Alegre, Laci não pode ir ao encontro do religioso, pois seus filhos ainda eram muito pequenos e não teria como levá-los consigo ao encontro. O tempo passou, os filhos cresceram e o desejo de conhecer o Papa se manteve. A professora não conseguiu estar com João Paulo II, mas o contato com seu sucessor supriu a expectativa de estar com o Papa.

Ela relata que a agência de viagens conseguiu agendar a audiência com o grande líder da Igreja Católica. Às 9h do dia 16 de maio, as irmãs e os demais brasileiros que viajaram com elas se concentraram na Praça de São Pedro, situada em frente à Basílica de São Pedro, para aguardar a chegada de Francisco. Por volta de 9h30min, o Pontífice apareceu, conduzido pelo papamóvel, para alegria e emoção da multidão que o aguardava. “De tudo que lá visitamos, o que ficou mesmo foi a visita a Roma, Choramos de emoção ao ver o Papa”, conta.“Vimos a expressão no rosto dele. É uma experiência única”, revela Laci.

Depois de percorrer a Praça abençoando os fiéis, o Papa saudou representantes de todos os países presentes. “Nesse momento, a gente agitou nossa bandeira e ficamos ainda mais emocionados”, lembra.

Uma viagem marcada por boas e abençoadas lembranças
As montenegrinas estiveram em cidades como Milão, Veneza e Firenze, entre várias outras. A cada destino, surgia a oportunidade de conhecer locais que fazem parte da história mundial, como a Casa de Julieta, hoje museu; a residência onde morou Cristovão Colombo; as ruínas do Coliseu e também a Capela Sistina. Descendente de imigrantes italianos, elas também não poderiam deixar de ir até outro lugar especial. “Fomos no Porto de Gênova, de onde saíram os imigrantes para vir ao Brasil”, diz Laci, ainda entusiasmada com a viagem.

turistas aproveitaram para conhecer lugares como as ruínas do Coliseu

Na volta para casa, a bagagem veio repleta de boas memórias, inúmeras fotografias de todos os locais por onde passaram e “lembrancinhas” abençoadas pelo próprio Papa. As irmãs aproveitaram a passagem por Roma para comprar mimos. “Compramos muitos rosários e imagens do Papa”, comenta Laci.
Até aí, tudo dentro do esperado para uma dupla de turistas. O diferencial é que os objetos escolhidos por elas foram enviados, pela loja de suvenires, para serem abençoados pelo Pontífice. “No final do dia, depois de receberem a bênção, nossos produtos foram entregues no hotel onde estávamos hospedadas”, detalha.

Laci guarda a lembrança do dia em que esteve com o Papa Francisco

Laci e a irmã retornaram cheias de histórias para contar. E já começam a planejar uma nova e longa viagem. Desta vez, o destino promete ser bem diferente e mais agitado do que a Itália. “Queremos ir para Las Vegas. A gente quer ver a casa onde nasceu Elvis Presley. Se Deus quiser, ainda vou realizar esse sonho”, planeja a professora aposentada.

Deixe seu comentário