Terezinha tem dezenas de cães em casa, no bairro Santo Antônio. FOTO: ARQUIVO DO JORNAL

Com mais de 60 cães em casa, ela combate uma infestação de carrapatos

Conhecida em Montenegro pela grande quantidade de cães que abriga em sua casa, a aposentada Maria Terezinha Augusto da Rosa, 65 anos, precisa de auxílio. Seu maior problema no momento é combater uma infestação de carrapatos que coloca em risco a sua saúde e a dos 65 cachorros, com os quais compartilha sua residência no bairro Santo Antônio.

Ela chegou a ter 105 animais. O problema com os carrapatos agrava a situação de dona Terezinha, que já vive com dificuldades financeiras e de saúde. Por força de uma decisão judicial, a Prefeitura a auxilia com o repasse semanal de 175 quilos de ração e 24 litros de água sanitária para a limpeza. A determinação do Ministério Público ocorreu em 2013, amenizando a situação. Mas mesmo assim o cenário em que ela vive é difícil.

A aposentadoria de Terezinha é de um salário mínimo, mas ela acaba recebendo ainda menos, cerca de R$ 600,00. A diferença se deve ao desconto do pagamento parcelado de um empréstimo contraído antes da decisão do MP, pois não tinha recursos para manter as despesas em casa. “Precisei fazer (o empréstimo) por causa dos cachorros, não tinha condições nem de comprar comida”, recorda. A saúde dela é instável, pois tem problemas cardíacos graves, também já retirou uma das mamas devido a um câncer e convive com dores na coluna.

Natural de Urussanga, em Santa Catarina, Terezinha mudou para o Rio Grande do Sul há algumas décadas. Primeiro foi morar em Porto Alegre e depois, há cerca de 45 anos, para Montenegro. Ela não planejou ter tantos cães, começou com cerca de 10 e chegou a ter mais de 100. Terezinha afirma que boa parte deles foi abandonada em frente a sua casa. A maioria são cães adultos, alguns na faixa dos 15 anos, e as fêmeas são castradas. Há também filhotes, pois, embora ela tenha tornado pública as dificuldades para sustentá-los, ainda há pessoas irresponsáveis que abandonam animais no seu portão, como ocorreu há poucos meses.

Como ajudar
Os R$ 600,00 que recebe são insuficientes para se manter. Por isso, ela afirma que toda a ajuda será bem recebida, seja de alimentos para ela, dinheiro ou remédio para combater os carrapatos dos cachorros.

Interessados em ajudar podem entrar em contato pelo telefone (51) 99835-7008 ou ir até a residência, localizada no Morro da Formiga, bairro Santo Antônio.

Deixe seu comentário