Além de descartar os resíduos, quem compareceu ao Sesi levou um material informativo sobre reciclagem

Conscientização. Ação ocorreu no final da última semana, com organização da Secretaria Municipal de Meio Ambiente

Na sexta, ocorreu mais uma edição do Dia do Descarte Correto. Desta vez no Sesi, a equipe da Secretaria Municipal de Meio Ambiente esteve recolhendo, durante todo o dia, pilhas, baterias, lâmpadas fluorescentes, cartuchos de impressoras, eletrodomésticos, eletrônicos, embalagens de veneno, óleo de cozinha e medicamentos. A ação foi das 9h às 16h, sendo a penúltima do ano, com outra prevista para dezembro. Cerca de uma tonelada de resíduos foram descartados na ocasião.

“Com isso se vai plantando a sementinha”, comenta a bióloga e funcionária da Secretaria, Daniela Müller Garateguy, sobre a prática de separação dos resíduos. “Montenegro tem a coleta, mas são pouquíssimas as pessoas que segregam. Isso devia se tornar uma rotina.” Auxiliando o recebimento dos descartes e distribuindo folders com orientações, a profissional conta que percebe os Dias do Descarte Correto, que ocorrem frequentemente, como importantes influenciadores desta mudança de percepção quanto ao “lixo”.

Tudo o que foi arrecadado pela campanha foi direto para a empresa Telemonte, que faz a devida destinação de cada tipo específico de resíduo. A organização reforça, no entanto, que, no dia-a-dia, embora o estabelecimento receba entregas individuais, na maioria dos casos o dono do resíduo deve procurar, primeiramente, a empresa que o forneceu o material.

Isso porque há uma lei federal, de 2010, que é conhecida como a “Logística Reversa”. Segundo ela, comerciantes e distribuidores de pneus, eletroeletrônicos, agrotóxicos, lâmpadas fluorescentes, pilhas, baterias e óleos lubrificantes, são obrigados a aceitar a devolução dos resíduos destes produtos pelos consumidores. A partir deles que é feito o destino.

O agricultor Seno Alberto Reichert veio de Santos Reis para destinar corretamente seus resíduos

Recém abertos os trabalhos no Sesi, o agricultor Seno Alberto Reichert já estava no local para deixar seus materiais. Ele veio de Santos Reis para destinar alguns resíduos de sua casa. Já tendo participado do Dia do Descarte em outras edições, ele conta que deixou acumular os resíduos nos últimos meses para a atual entrega. “Sou produtor rural e ninguém melhor para entender de cuidar da natureza e do planeta em si”, declara, orgulhoso.

E a visão do montenegrino não poderia ser mais correta. As pilhas e as baterias, por exemplo, possuem metais pesados, como o chumbo e o mercúrio, que, em contato com o meio ambiente após um descarte indevido, trazem diversos riscos. A bióloga Daniela exemplifica a situação de um resíduo descartado no lixo “normal”, que vai para o aterro sanitário. “Aquelas substâncias químicas vão para a terra, para o lençol freático e para a atmosfera”, aponta.

Tudo parte de uma grande cadeia, os metais das pilhas poderiam chegar às águas do lençol freático, que irrigam as lavouras, trazendo problemas para a saúde do consumidor do item plantado. “É uma cadeia poluidora muito grande. A saúde ambiental e a saúde pública estão sempre vinculadas.” Diante disso, o descartar corretamente parece imprescindível.

O que fazer com os resíduos quando não for Dia do Descarte Correto:
Lixo doméstico (plástico, papel, vidro, metal) – Coleta Seletiva
Lixo Orgânico (restos de alimentos, cascas de frutas, pepel usado, etc) – Coleta Urbana
Eletrodomésticos – Empresa Telemonte, na Est. Maurício Cardoso, 8351
Eletrônicos – Empresa Telemonte; Comerciante do produto
Móveis, sofás e similares – Tele entulho (possui custo)
Embalagens de agrotóxicos – Devolver ao comércio onde foi adquirido até um ano depois da compra
Embalagens de venenos domésticos – Empresa Telemonte ou comerciante do produto
Medicamentos – Empresa Telemonte; comerciante do produto ou outras farmácias
Óleo usado na cozinha – Empresa Telemonte ou comerciante do produto
Pilhas, baterias e lâmpadas fluorescentes – Empresa Telemonte ou comerciante do produto

Deixe seu comentário