Salas de aula estão no escuro, impossibilitando retorno das aulas presenciais

Processo para contratação de empresa está em fase final pela Secretaria de Educação

Desde agosto do ano passado o Colégio Estadual Dr. Paulo Ribeiro Campos, o Polivalente de Montenegro, enfrenta a falta de energia elétrica. O problema teve início após um furto de cabos, que deixou parte das salas de aula sem luz.
A situação se agravou após o quinto furto em um período de cinco meses na escola, que aconteceu em janeiro deste ano, deixando toda a instituição sem energia elétrica. Na época um conserto provisório foi providenciado pela direção da escola, mas foi possível restabelecer a energia apenas na parte onde fica localizada a secretaria. “Todas as salas de aula, refeitório, e banheiros estão sem luz. Então com tudo sem luz não temos condições de receber os alunos”, afirma o diretor da Instituição, Luís Carlos Hummes.

Escola já recebeu equipamentos de proteção individual, mas aguarda conserto da rede elétrica para voltar

O diretor conta que busca uma resposta da 2º Coordenadoria Regional de Educação e da Secretaria Estadual da Educação há vários meses. “Estou desde o ano passado enviando comunicados e ofícios para a 2º Coordenadoria. Enviei para a Secretaria da Educação também, mas até o presente momento não tivemos nenhum retorno”, aponta Hummes.

A preocupação com a situação da escola também é compartilhada com os pais de alunos da instituição. Elza Herter, mãe de Rafael, estudante do 2º ano do ensino médio no Polivalente, vê como incoerente a presa do governo do Estado em retomar as aulas presenciais e ao mesmo tempo demorar tanto para providenciar a reforma da rede elétrica na escola.
“Sem energia elétrica ficam comprometidas as condições para que os alunos consigam visualizar adequadamente o quadro, especialmente por estarmos entrando no inverno, com maior número de dias de baixa luminosidade. Sem contar com o ensino noturno que, pelo jeito, foi esquecido pela Seduc”, desabafa Elza.

Em nota, a secretaria Estadual da Educação (Seduc) informou que já disponibilizou o valor de R$ 64 mil para contratação de uma empresa que irá efetuar os reparos e substituir os fios da rede elétrica que foram roubados na escola. De acordo com a pasta o processo está em fase de assinatura de contrato e após a publicação no Diário Oficial do Estado será dada a ordem de início do serviço.

Sobre o retorno das aulas presenciais a Seduc informou que, devido ao trâmite do reestabelecimento da energia elétrica na instituição de ensino, mesmo com o retorno das aulas presenciais no Estado a escola continuará atendendo, num primeiro momento, somente no ensino remoto e realizando a distribuição física dos materiais didáticos sob agendamento prévio.

Deixe seu comentário