Responsável pelo abastecimento de água em Montenegro e São Sebastião do Caí, os baixos níveis do Rio Caí preocupa o órgão

Órgão reforça a importância da utilização racional da água em Montenegro e região para evitar desperdícios

A estiagem que vem afetando lavouras em todo o Rio Grande do Sul começa a afetar também o abastecimento de água na região. Com a falta de chuva, o Rio Caí – que fornece água para Montenegro e São Sebastião do Caí – registra baixa nos níveis de captação de água e a Companhia de Riograndense de Saneamento (Corsan) entra em estado de alerta e reforça a necessidade de consumo racional por parte da população. A partir de agora, economia é a palavra de ordem para evitar um eventual racionamento, orienta o órgão.

A superintendente regional da Corsan, Silvani Inês Scheid, explica que o sistema de abastecimento do município capta a água para tratamento em dois pontos específicos, que estão localizados junto à ponte da ERS-240 e no Porto das Laranjeiras, quase em frente à Câmara de Vereadores. “O nível médio do Rio Caí é de 2,4 metros, conforme informação da Estação de coletas de dados situada na Barca do Caí operada pela CPRM, no município de São Sebastião do Caí”, detalha a Silvani. “Atualmente, conforme os dados disponibilizados pelo mesmo órgão, o nível estava em 1,29m”, completou.

Conforme o órgão, o manancial de captação está com quase um metro abaixo do nível normal, porém, a marca se mantém com pequenas variações desde a segunda quinzena de fevereiro. “Podemos classificar esta situação como de alerta, mas ainda não preocupante a ponto de falarmos em medidas de emergência”, ressaltou a superintendente, acrescentando que Montenegro possui duas estações de tratamento de água capazes de purificar 200/ls ou seja, praticamente 1000 litros a cada 5 segundos, valor suficiente para abastecer o município.

“Estamos no momento de entender a situação calamitosa que atravessa o estado devido à falta de chuvas e mudar alguns hábitos, desenvolvendo uma educação ambiental, que trata os recursos hídricos como um bem valioso e finito”, orienta Silvani. “A população de Montenegro deve estar atenta para utilização racional da água, evitando o desperdício, medida digna de um povo culto e ordeiro como o nosso.”

Evitar lavar o carro semanalmente, juntar o máximo de roupas antes de acionar a máquina de lavar e varrer as calçadas ao invés de lavar com água são exemplos simples e eficientes para diminuir o consumo de água, além de contribuir com a redução da conta para as famílias. “Quando o cidadão for fazer uma obra ou intervenção na calçada ou via pública, consulte a Corsan para saber onde está a rede de abastecimento, evitando provocar um vazamento”, salienta Silvani, afirmando que estes incidentes são comuns e geram prejuízos para a população e para a companhia.

Reaproveitamento da água da chuva
Diante da estiagem dos últimos meses e da preocupação com o abastecimento de água no município, o montenegrino João Batista Moura, 53, apostou em um sistema de reaproveitamento de água da chuva. Com dois toneis, algumas mangueiras e muita criatividade, o comerciante conta com o recurso para regar a horta e realizar outras atividades a partir de agora. “Essa era uma ideia antiga, e finalmente coloquei em prática”, comemora Moura, que há dois meses construiu o projeto em casa, no bairro Ferroviário. “Com esse sistema, consigo reaproveitar até 400 litros de água da chuva que, depois, utilizo na horta, para limpar os pátios e lavar os carros”, detalhe o comerciante, que pretende ampliar o projeto. “Quero colocar mais toneis para captar água da chuva e usar no banheiro”.

Apesar de o projeto ter sido colocado em prática recentemente, o cuidado em não desperdiçar água é antigo na casa do montenegrino. “Eu tenho filhos, e sei que meus filhos também terão os seus, por isso, eu me preocupo em cuidar dessas questões porque quero que eles tenham um futuro melhor, que não falte água, assim, se cada um fizer sua parte, esse recurso nunca irá acabar”, disse o comerciante, enquanto regava a horta.

Confira algumas dicas para economizar água no dia a dia
Com o estado de alerta decretado pela Corsan e algumas atitudes simples, é possível economizar uma boa quantia de água no dia a dia a fazer a diferença quando o assunto é educação ambiental. Confira algumas dicas para evitar o desperdício:
– Tome banhos mais curtos;
– Mantenha a torneira bem fechada;
– Lave a roupa com menos frequência e mais atenção;
– Use vassoura para limpar a calçada;
– Redobre os cuidados com os vazamentos;
– Reaproveite a água;
– Feche o chuveiro sempre que possível;
– Limpe antes de lavar.

Compartilhar

Deixe seu comentário