Coral local se apresentou em Gramado, integrando a atração “Árvore Cantante”. FOTO: CORAL VOZES

Com mais de 30 anos de atuação, o Coral Vozes, de Montenegro, vai ter acesso a fomento da Prefeitura, no valor de R$ 7,5 mil. O recurso, muito esperado, é proveniente do Fundo Municipal de Desenvolvimento da Cultura, o Fumdesc, que foi reativado neste ano depois de ficar três anos sem investir em nenhuma manifestação artística local. Vai ajudar a custear a participação do grupo em eventos, a pagar o serviço especializado da regência e, em contrapartida, estimulará que o Vozes leve música a instituições e cerimônias da cidade.

A demanda pelo retorno do Fumdesc era grande entre os artistas que, sem ele, diziam-se sem incentivo em um município que carrega o título de “Cidade das Artes”. O Fundo foi criado em 2010, mas teve a desativação decretada em 2016, com a justificativa de limitações financeiras. Passou um bom tempo, problemas de prestações de contas tiveram que ser alinhados para que, então, ele voltasse, com um edital lançado no início do último outubro.

Ainda não é tão abrangente como em sua concepção – deveria disponibilizar recursos para grupos de teatro, pintores, escritores, músicos, dentre outros – mas voltou, com R$ 30 mil disponíveis, especificamente, para quatro grupos de corais adultos. No fim do processo, porém, só o Vozes foi contemplado.

“Eu não acho que seja falta de organização”, elabora o regente do coral atendido, sobre o fato de apenas o grupo ter conseguido o recurso. Norildo de Andrade aponta que a legislação mudou e está mais criteriosa do que no passado para destinar qualquer valor à entidades. “A maioria dos corais tem vários anos de estrada. Então, eu acho que talvez seja só um processo de transição para eles se adequarem à lei que está em vigor agora. Ela vem para isso. Para deixar essa situação de parcerias mais transparentes e as coisas mais claras e corretas.”

Segundo o Departamento de Cultura da Prefeitura, outras duas entidades tentaram acessar o Fumdesc junto ao Vozes. A primeira acabou inabilitada pela comissão responsável durante o julgamento do projeto cadastrado, que devia seguir uma série de critérios. A segunda foi inabilitada na fase das análises de documentação. Tudo isso, apesar de, dias antes do prazo de inscrições abrir, a própria Prefeitura ter oferecido uma capacitação que demonstrou aos interessados como deveria ser feita a inscrição para receber os valores.

Do Vozes, o projeto contemplado prevê ações no decorrer de 45 dias. Com o valor de custeio, o grupo vai se apresentar em diversas apresentações de Natal na cidade, estando incluso na programação oficial da Prefeitura pelas festas de final de ano. O Fumdesc já custeou a participação do coro no Natal Luz, de Gramado, na última quinta-feira, 5, e há mais um evento fora previsto, em General Câmara, no dia 13. “Nesse sentido, o mais importante é que a gente leva o nome do Município para fora”, destaca o regente Norildo.

Deixe seu comentário