Previsão, passada a consulta pública, é de leiloar a administração da estrada em dezembro

ESTUDOS detalham obrigações da concessionária, mas comunidade ainda pode opinar

A RSC-287, junto à ERS-240 e à ERS-122, deve ser concedidas à iniciativa privada por 30 anos. As tratativas implicam na instalação de pedágio, agora indicado para a ERS-240, em Capela de Santana; mas também em obrigações da empresa que vir a assumir as estradas. Dentre elas, duplicações, atendimento de guinho e ambulância 24 horas; e obras de engenharia esperadas por anos.

No trecho urbano da 287, o mais crítico para os montenegrinos, são previstos viadutos, passarelas e outras soluções; que o leitor pode conferir a seguir. Algumas diferem do projeto do Governo Zanatta, que optou por assumir para si a construção de rótulas que resolvam o dilema da travessia ao bairro Santo Antônio.

Até o dia 18, por formulário através do site “https://parcerias.rs.gov.br/rodovias”, o cidadão pode analisar as propostas do Estado e também opinar, levando sugestões de obrigações à nova concessionária. Também, se assim entender, pode se colocar contrário à concessão. No mesmo site ocorre audiência pública virtual sobre o tema às 14h do próximo dia 15. Pelo cronograma, se for em frente a concessão, a administração das rodovias será leiloada já em dezembro.

VEJA O QUE TRAZ O ESTUDO DE ENGENHARIA:

Caso você não consiga visualizar as imagens, considere baixá-las em seu dispositivo

COMO SERÁ A DUPLICAÇÃO?

Todas as obras com viadutos, rótulas e instalação das passarelas ocorrerão junto da duplicação da rodovia. No trecho concedido, o estudo prevê áreas onde a duplicação é central, à esquerda ou à direita, prevendo reduzir impactos referente a volumes de terraplanagem e eventuais desapropriações que podem se fazer necessárias. No início do mapa, que traz o trecho urbano da RSC-287, o material prevê a duplicação com barreira rígida (sem canteiro central), para aproveitar melhor o espaço. Em azul estão, ainda, as vias marginais, implantadas (ou corrigidas) para facilitar a canalização de tráfego aos veículos. Após o acesso ao bairro Cinco de Maio; e até o final, na BR-386, o trecho deve ser duplicado com canteiro central.

QUANDO SERÁ FEITO?

Todo o trecho urbano da RSC-287 é contemplado no início do contrato; até o quinto ano. Se aceita a concessão e cumprido o prazo do leilão até dezembro; a empresa tende a assumir a estrada em 2022 e as intervenções, com a duplicação, entre a “Rótula do Shell” e o acesso à ERS-411 (antigo Frigonal) saem até meados de 2027.

– No restante da 287, que vai da entrada da ERS-411 até o acesso à BR-386, a duplicação e demais intervenções de engenharia ocorrem só ao fim da concessão; até o 25º ano dela.

– Na ERS-240, a duplicação do trecho entre Capela de Santana e Montenegro é prevista para a segunda etapa de intervenções, até o décimo ano de concessão (2032). O pedágio, porém, entra em operação no trecho já no início do segundo ano.

Deixe seu comentário