O ingresso em uma faculdade normalmente é cercado de dúvidas e requer uma certa maturidade

Em época de vestibular e de matrículas, é normal os adolescentes estarem indecisos sobre qual profissão seguir. Entre tantas opções, o ideal é conhecer a si mesmo para escolher uma área que combine com a própria personalidade.

A psicóloga Fabiani Ramos de Moraes, 44, explica como é o processo. “No Ensino Médio, as necessidades são de adolescentes. Ao término deste ciclo, a escolha profissional é de adulto. Isso ocorre muito rápido”, completa.

Algumas dicas da psicóloga para conhecer as diferentes alternativas de formação: visitar feiras de profissões nas escolas e as universidades para conversar com os coordenadores dos cursos. A próxima etapa é conhecer o mercado de trabalho das profissões e analisar os prós e contras de cada curso. “A orientação profissional auxilia o adolescente a lidar melhor com esse momento. Além disso, o teste vocacional pode ser de grande valor”, acrescenta.

Veja o que dizem profissionais de quatro dos cinco cursos mais procurados nas universidades federais.

Psicologia
“A Psicologia é uma profissão que trabalha com o comportamento humano e, para compreender o outro, é preciso empatia”, explica Fabiani Ramos de Moraes, pós-graduada em Psicologia Jurídica e especialista em Saúde Mental. A principal vantagem na profissão, para ela, é ter como grande instrumento de trabalho saber ouvir. “É preciso escutar, estar despido de preconceitos e ter disponibilidade interna para as relações interpessoais”, acrescenta.

Entretanto, a profissional coloca como ponto negativo a baixa valorização e o mercado de trabalho restrito. Para quem quer cursar Psicologia, ela afirma que é necessário saber que vai mexer com questões pessoais também. “É importante estar em análise ou psicoterapia durante o curso, porque é intenso”, acrescenta.

Fabiani é pós-graduada
em Psicologia Jurídica

Direito
A advogada Natália Boos Maurer, 29, acadêmica de pós-graduação em Direito do Trabalho e Direito Previdenciário, conta sobre os prós e contras da profissão. O ponto positivo certamente é poder ajudar ao próximo. “Sinto-me feliz quando tenho um êxito profissional, corrigindo algum tipo de injustiça”, define. Ela acredita que o ponto negativo é a concorrência, sendo uma das profissões mais competitivas do mercado.

Natália diz que o direito oferece uma gama de carreiras diferentes, possibilitando ao graduando escolher entre diversos tipos de carreiras/profissões, como advocacia, promotoria, magistratura, entre tantas outras, eis que necessitam da mesma formação acadêmica. Ela avisa que a graduação exige total comprometimento, estudo e dedicação do aluno.

Natalia diz que o mais
importante é ajudar ao próximo

Fisioterapia
“Sou formado desde 2001 e a profissão teve muitas mudanças. A vantagem está exatamente nisso”, diz o fisioterapeuta Daniel Valente da Matta, 41. Ele explica que a profissão esta em constante expansão na questão científica, há muitas opções de inserção no mercado, e, além disso, o resultado com o êxito dos tratamentos dos pacientes é uma recompensa.

O profissional comenta que um dos pontos negativos é, ainda, a falta de remuneração ideal em relação ao esforço da profissão. Sobre o campo de trabalho, está muito seletivo pela grande oferta de profissionais. Daniel recomenda que os vestibulandos interessados em Fisioterapia pesquisem sobre a atuação, desde a hospitalar até a ambulatorial. “Conversando com os profissionais se tem mais noção de futuro e objetivos”, acrescenta.

Daniel afirma que a profissão está em constante evolução

Medicina Veterinária
Para o veterinário Raphael Zamboni, formado em 2008, existem muitas vantagens na sua profissão. “Além de trabalhar com animais, que são seres superiores, é bem lucrativo, tem um ambiente de trabalho prazeroso”, acrescenta. Ademais, ele explica que não vê muitos pontos negativos no curso. “O proprietário do animal, às vezes, é o ponto negativo no meu caso, que sou clínico cirurgião”, completa.

Raphael diz que são várias áreas de atuação, que vão desde clínica à vigilância sanitária, além de frigoríficos, prefeituras e hospitais. Os alunos que desejam fazer veterinária devem saber que é preciso gostar de estudar e se atualizar sempre. “É uma faculdade em que tem de dedicar um bom tempo do dia pata estudos”, afirma.

Rafael é formado em Medicina Veterinária desde 2008

Deixe seu comentário