Era tarde da noite quando Luís precisou socorrer o ônibus, atolado na BR

Na noite de domingo, um ônibus da empresa Fátima atolou na BR 470, na localidade de Fortaleza. Chovia no momento do incidente e um morador do local precisou ir em socorro do veículo, usando seu trator para retirá-lo do atoleiro e permitir que continuasse sua viagem, iniciada em Triunfo. Não foi a primeira vez que a situação ocorreu no local, fato que gera indignação da comunidade em relação ao estado precário da via.

“Toda vez que chove, é assim. Já estou cansado de puxar os ônibus atolados em dias de chuva”, desabafa o morador Luís Eduardo Kuhn de Oliveira. Foi ele que fez a retirada do ônibus e transmitiu seu desabafo nas redes sociais e aos veículos de comunicação. A esperança é que seu apelo chegue até o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e uma solução seja tomada.

Sem o material e o cuidado necessários, em toda chuva, o barro toma conta da BR. Os buracos também marcam presença no local. “E aí sobra para a gente, que tem trator, ter que sair de dentro de casa para socorrer o pessoal, se molhando, sujando trator e muitas vezes sem ganhar nada. O pessoal do Dnit não está nem aí”, coloca Luís. Apesar do desabafo, ele afirma que sempre ajuda quem se prejudica com a situação da via, pois aguardar pelos órgãos responsáveis não é uma opção. “Vão mofar ali.”

No Facebook, muitos se engajaram na discussão do caso. Usuários apontam que o problema, em Fortaleza, se estende há mais de 40 anos e sentem-se, por serem moradores do interior, esquecidos pelo poder público. Para Luís, o trecho não poderia nem ser reconhecido como uma BR. “Até quando vamos ter estradas assim?”, questiona, indignado.

A reportagem do Jornal Ibiá não conseguiu contato com o Dnit.

Deixe seu comentário