Com a chegada dos dias quentes, fica mais propícia a proliferação do mosquito Aedes Aegypti. Com isso, aumento o risco de transmissão de doenças como a dengue, zika vírus e chikungunya.

Locais com água parada acumulada, tempo chuvoso e com temperaturas amenas e quentes são ideais para a reprodução do Aedes. E o período mais crítico para a proliferação é o que vai de dezembro até o mês de abril, principalmente pelo aumento do surgimento de focos com larvas.

De acordo com a chefe da Vigilância Sanitária do município, Silvana Schons, no verão a tendência é de aumento dos surtos de doenças transmitidas pelo inseto — Dengue, responsável pela maior incidência de epidemias, Zika e Chikungunya, essas duas com história mais recente nos boletins de saúde pública. “Nesta época, também, o mosquito tem o seu ciclo de reprodução beneficiado pelas condições climáticas”, enfatiza Silvana.

Para evitar a proliferação do Aedes, a Vigilância em Saúde de Montenegro aposta no controle do vetor durante todo o ano. Esse combate é focado nas visitas aos pontos estratégicos, visitas domiciliares, monitoramento da infestação, ações educativas em escolas e empresas, entre outras. As atividades são realizadas pelos Agentes de Combate as Endemias com o apoio dos Agentes Comunitários de Saúde.

“Todo cuidado é pouco. Se não queremos as tão temidas doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, não podemos deixar o mosquito se criar”, salienta, destacando que a prevenção é a melhor arma no combate.

Como a prevenção não é apenas de responsabilidade do poder público, a população também precisa fazer sua parte não deixando água parada. Denúncias podem ser feitas através de contato pelo telefone 3632-1113.

Sintomas e cuidados com a dengue
Caso observe o aparecimento de manchas vermelhas na pele, olhos avermelhados ou febre busque um serviço de saúde para atendimento; Nunca tome qualquer medicamento por conta própria.

saiba mais
A Dengue ainda é a doença que possui uma série de registros, mas o crescimento da Zika e Chikungunya é preocupante;
Segundo dados do Ministério da Saúde, o registro de casos de Chikungunya aumentou desde as primeiras notificações em 2014.

Faça a sua parte e mantenha o Aedes Aegypti longe
– Mantenha lixeiras bem tampadas e ralos limpos e com telas;
– se acumulou água no prato de planta, lave-o com escova, água e sabão, limpando-os semanalmente e preenchendo os de vasos de plantas com areia;
– mantenha a lixeira externa fechada, assim como os tonéis, para não acumular água da chuva;
– guarde garrafas em local protegido da chuva ou viradas para baixo;
– cuidado com as piscinas, principalmente as sem motor para movimentar a água. A colocação de cloro na água é importante;
– não deixe lixo acumulado nos pátios nem jogue na rua;
– limpe as calhas para que elas não represem água;
– lave os potinhos de água e comida do cachorro, com escovas ou buchas, esfregando bem nas bordas;
– não deixe pneus em áreas abertas. Eles acumulam água e comumente são focos do Aedes Aegypti;
– retire água acumulada na área de serviço, atrás da máquina de lavar roupa;
– cubra e realize manutenção periódica de áreas de piscinas e de hidromassagem;
– atenção com bromélia, babosa e outras plantas que podem acumular água;
– deixe lonas usadas para cobrir objetos bem esticadas, para evitar formação de poças d’água;
– terrenos baldios ou lixo acumulado na rua, a Secretaria Municipal de Saúde deve ser acionada para remover os possíveis criadouros.

Deixe seu comentário