Família de Juan Pietro busca diagnóstico conclusivo há mais de dois anos. Foto: arquivo pessoal Jéssica da Silva Lino

Juan Pietro. Em viagem a São Paulo, ele irá realizar exames e consultar com especialista

O pequeno Juan Pietro, de 5 anos de idade, convive com pelo menos duas doenças já diagnosticadas: miosite inflamatória por linfonodos e uma doença auto inflamatória não específica. A batalha da família em busca de um diagnóstico para o pequeno iniciou há cerca de dois anos, quando ele tinha três anos de idade.

A mãe, Jéssica da Silva Lino, conta que no primeiro momento o caso de Juan Pietro foi tratado como anemia, mas conforme a idade dele foi avançando foram aparecendo outras complicações. Devido à febre constante e à instabilidade do peso que não evoluía com a idade, o médico que acompanhava o caso de Juan decidiu encaminhá-lo para um pediatra gastrointestinal. Desde então foram realizados diversos exames para tentar formar um diagnóstico conclusivo.

Depois de passar por várias internações, o pequeno foi diagnosticado com uma doença rara, considerada autoimunológica. Exames realizados a partir deste ponto se mostraram inconclusivos, pois apontavam para várias enfermidades relacionadas a doença auto imunológica. Dentre elas a miosite, que consiste na inflamação dos músculos, causando o enfraquecimento e provocando sintomas como dor muscular, fraqueza muscular e aumento da sensibilidade dos músculos. A doença leva à dificuldade em realizar algumas tarefas simples, como subir escadas, levantar os braços, ficar de pé, caminhar ou levantar uma cadeira, por exemplo.

Buscando um diagnóstico conclusivo, a família de Juan Pietro marcou uma consulta com um especialista em doenças auto imunológicas de São Paulo. Após a realização de uma consulta virtual, o médico solicitou a transferência do caso de Juan para a capital paulista. Segundo a família, isso aconteceu porque é necessário realizar exames específicos que não são possíveis fazer no Rio Grande do Sul, mas que podem ser feitos no Hospital de Clínicas de São Paulo.

Campanha busca ajuda financeira e motivacional

O desafio da família agora é conseguir recursos para custear a viajem para São Paulo. Segundo a mãe de Juan, o encaminhamento do caso para a capital paulista está acontecendo via Sistema Único de Saúde (SUS). “Essa tranferência acontece porque aqui no Rio Grande do Sul não tem como fazer o exame que ele precisa. Também porque a doença tem que ser tratada por um médico especialista em doenças raras, e aqui não tem nenhum profissional que atende pelo SUS”, relata Jéssica.

Com objetivo de buscar ajuda para custear os gastos da viagem que será feita para São Paulo, a família lançou a campanha “Todos pelo Juan”. Em um perfil no Intagran, nomeado como “Ajude Juan Pietro”, é possível acompanhar a evolução do tratamento do pequeno e ter acesso às informações de como ajudar na campanha. Contribuições financeiras podem ser feitas por meio da chave PIX 03741196002 (a conta é do tio do menino, Mateus Lino Oliveira) e também através de uma conta bancária que está disponível para consulta no perfil do Instagram.

Outra finalidade da campanha é arrecadar recursos para os gastos que Juan tem com deslocamentos pra realização de consultas aqui no estado. “Muitas vezes a gente tem que se deslocar para Porto Alegre, mas quando vamos com o carro da Secretaria da Saúde temos que ficar esperando o dia todo para voltar e por conta da doença, ele não pode ficar esperando”, conta a mãe.

Pensando também no aspecto emocional de Juan Pietro, a família está pedindo a colaboração da comunidade enviando vídeos motivacionais para o pequeno. “Eu como mãe peço que quem não puder ajudar com ajuda financeira mande vídeos de motivação pra ele, porque ele está com o psicológico bem abalado também”, destaca Jéssica. Os vídeos podem ser enviados para o WhatsApp da mãe de Juan, com número 51 91301308.

Como toda a criança, Juan Pietro também tem sonhos. O maior deles é ser jogador de futebol. Torcedor do Internacional, o menino também sonha em conhecer os jogadores do clube. A família diz que está tentando entrar em contato com o time de futebol para que algum jogador envie um vídeo motivacional para Juan. “Toda a ajuda é bem vinda e a gente busca também cuidar do psicológico dele”, afirma Jéssica.

Deixe seu comentário