Mais conhecido como Sorriso, o poeta Rodrigo Montenegro leva suas poesias por onde anda na cidade

Em forma de música, pinturas, objetos, escrita, entre outras expressões, a verdade é que a arte está intrinsecamente presente na vida das pessoas. Sobre isso, o gaúcho Rodrigo Montenegro, 33, entende bem. Conhecido como Sorriso, o montenegrino tem uma história repleta de desafios e superações escondida sutilmente na arte de poetizar, com dezenas de poesias compartilhadas na cidade em troca de contribuições espontâneas.

De família humilde, Sorriso conta que sempre teve facilidades com as palavras, apesar das dificuldades financeiras e sociais que encontrou e ainda encontra pelo caminho. Com o tempo, o papel e caneta se tornaram suas maiores companhias e, a partir dessa junção, ele passou a transformar seus sentimentos, medo e angustias em poesias e nunca mais parou. Quando questionado se lembrava do primeiro do poema que escreveu, ele surpreende, recitando:

“Construí um jardim
Plantei as mais belas flores
Entre elas, encontrei uma rosa
Em suas pétalas, duas gotas de orvalho
Pareciam minhas lágrimas que por ti choravam…”

“O direito de voar”, um dos poemas compartilhados por Sorriso

Esse é um fragmento do poema escrito por Sorriso, quando ele tinha apenas 11 anos, intitulado “Quem ama será salvo”. Na época, para ajudar a avó, além de trabalhar cortando grama, ele passou a vender suas poesias de casa em casa. “Na escola, os professores me incentivavam bastante, sempre apoiando como podiam”, disse o montenegrino, que relembra a época com muito carinho. “A arte faz parte da minha vida”, completou.

Passado tanto tempo desde a escola, é difícil encontrar alguém no Centro de Montenegro que não conheça o sorriso largo e cativante do poeta, talvez por isso o apelido. Nem mesmo as duras surpresas que a vida lhe trouxe, foram capazes de apagar essa que passou a ser uma de suas maiores características, já que enfrentou dois AVCs (Acidente Vascular Cerebral) e um infarto, que o deixou com várias sequelas, entre elas, o comprometimento da coordenação motora do lado esquerdo do corpo e problemas na fala. Emocionado, Sorriso conta onde encontrou a força necessária para enfrentar um de seus maiores desafios, o de sobreviver.

“Encontrei a força em Cristo, porque o sofrimento dele não foi maior que o meu. A fé me motivou muito, me fez perceber que eu podia muito mais e que a poesia podia mudar a minha vida”, acrescenta o montenegrino, que agora escreve poemas voltados para a espiritualidade. “É uma forma de levar a minha arte e ajudar as pessoas”, completou o poeta, que por onde passa, deixa uma mensagem de fé e esperanças em pequenos pedaços de papel.

Segundo livro de poesias a caminho
Poeta independente, Sorriso se vira como pode para levar sua arte por onde passa. Resultando do seu esforço e dedicação, no próximo dia 1º de março, ele lançará seu segundo livro de poesias “Nem tanto o céu, nem tanto a terra. Um pouco mais de Deus para nossas vidas”. Na obra, Sorriso reúne rimas voltadas a espiritualidade, com mensagens de superação, amor e muita fé.
“A ideia é contar um pouco da minha história, o que já vivi e consegui superar”, comenta Rodrigo Montenegro, que ainda cita sua primeira obra, “Anjo e arcanjo unidos pela paz”. Para mais informações, entrar em contato pelo telefone (51) 9 9995-4094.

Deixe seu comentário