Na rua da Figueira, no bairro Cinco de Mario, a poda não agradou os moradores

Clima e excesso de retirada de galhos estão entre as principais dúvidas da população

A poda de árvore ainda gera muitas dúvidas e queixas por parte dos moradores em Montenegro. Na Rua da Figueira, no bairro Cinco de Maio, o serviço de podarealizado pela Prefeitura Municipal causou indignação na vizinha do local. Ela questiona se não houve excesso e se as retiradas dos galhos não poderiam acabar matando a árvore.

De acordo com a moradora Leni Lopes, todas as árvores da rua foram plantadas por ela e pelo marido ainda na década de 80. “Eu não tenho certeza, mas acho que esse período não é indicado para esse tipo de poda porque elas [as árvores] são nativas”, disse a aposentada, que ainda falou do carinho que sente pelo arvoredo. “Somos nós que as plantamos, então acompanhamos todo o crescimento e temos um carinho especial por cada uma delas. Além disso, as sombras dos galhos cortados irão fazer falta durante o verão”, completou a aposentada.

Conforme a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA), as podas estão de acordo com a autorização Florestal nº 267/2019 (ainda em validade) e em conformidade com as técnicas de podas em áreas urbanas. De acordo com o biólogo e mestre em Botânica, Flavio Barcelos, não existe época específica para podar nenhum espécime arbóreo, com exceção dos espécimes frutíferos por causa da floração. “O que pode levar a morte de uma dessas espécies são os invasores e parasitas, geralmente fungos e bactérias e a cauterização do que é chamado ‘colar’, o que não acontece nas podas realizadas pelas equipes treinadas do município”, disse o especialista.

Deixe seu comentário