Durante a atividade, o grupo debateu sobre diferentes temas ligados a emancipação feminina

Durante o mês de março, o debate sobre realidade das mulheres ganha notoriedade. No bairro Senai, na tarde desta sexta-feira, 6, integrantes do Núcleo Maria Maria, da Central Única das Favelas (CUFA), se reuniram mais uma vez para debater o empoderamento feminino na Associação da Vila Esperança.

Sentadas em círculo, as “Marias” – como são chamadas as integrantes da entidade – compartilharam diferentes histórias e experiências de vida. Na ocasião, a coordenadora do Núcleo, Kaká Pinheiro, destacou a independência financeira como um dos principais pilares para que a mulher conquiste a emancipação. “Na hora de se empoderar, muitas mulheres batem na questão financeira e acabam percebendo que dependem do marido, por isso, aqui no grupo, nós desenvolvemos muitas atividades voltadas para o empreendedorismo com oficinas e formações para que elas tenham mais independência”, salientou.

Angustias, medos e sonhos foram alguns dos temas abordados na roda de conversa. “Infelizmente a realidade da mulher só é debatida nesse período, mas, no núcleo, discutimos isso o ano inteiro”, comenta Kaká, destacando a violência doméstica como outro assunto bastante trabalhado pela entidade.
A atividade também contou com a participação do Instituto Mix, que ofereceu serviços de escovação de cabelo gratuito para as marias, e a presença da soldado e coordenadora da Patrulha Maria da Penha do 5ºBPM, Aline Paim, que falou sobre a importância do debate. “Quando uma mulher pega um telefone e liga para denunciar seu agressor, ela já está se empoderando ao tentar quebrar um ciclo de violência”, salientou a soldado.

Deixe seu comentário