Banhado ao fim da rua facilita grandes enchentes e alagamentos durante o ano

Moradores cobram pelo menos por respostas antes da época de cheias

“Choveu pode saber que dá alagamento e fica só metade da rua fora da água, é brabo”. Este desabafo é reclamação de Edi de Oliveira Pereira, moradora da rua Cristiano Mate, no bairro Industrial, há pelo menos 30 anos. Ela conta que por ser área de enchente, os vizinhos já sabem que em dias de fortes chuvas, nem precisa dar cheia no Rio Caí para que a rua se torne um caos. “Alguma coisa tem que ser feita. Olha o abandono que está nossa rua e não é problema de hoje”, lamenta.

Ela relembra que ao final da rua tem um banhado, o que só piora a situação. “Para a gente aqui é muito difícil, porque pode dar chuva forte fora de época. Daí, com o banhado, às vezes alaga que chega a ter correnteza. Quando desce chuva de Caxias (do Sul) pega os afluentes, daí nem se fala”, afirma. Edi diz que a espera agora, é por alguma solução. “Promessas têm, né? Mas, eu nunca vi nada sendo feito, prefeito, governo, nada. Todo mundo da rua sempre reclama”.

Dona Edi mostra que em grandes enchentes, a
água chega a encobrir todo o muro de sua casa

Marcelo da Rosa Pereira mora a vida toda nessa rua e compartilha da mesma preocupação e indignação de Edi. “Não tem como, os bueiros não vencem e até hoje não foi mexido em nada aqui”, relata. O morador afirma que agora, a esperança é de que a Administração Municipal realize algum reparo no local, já que logo, em meados de setembro e outubro, ocorre a época de muita chuva e ainda as cheias de São Miguel. “Algo vai ter que mudar. É muita promessa, muita conversa”, ressalta.

Ainda, Fausto Andrade, residente da rua há mais de 20 anos, citou outro problema: um buraco, já quase cratera, ao lado de sua casa. Ele explica que há cerca de um ano, foi realizado reparo no encanamento no local, mas que após, nunca foi fechado. Agora, o buraco se torna acúmulo de folhagem e sujeira. Em dias de alagamento, que são comuns, a situação piora.

O que diz a Prefeitura
Após contato via assessoria de imprensa, o secretário Municipal de Viação e Serviços Urbanos, Neri de Mello Pena, o Cabelo, informou que iria realizar vistoria e conversar com os moradores sobre os problemas citados. A vistoria ocorreu e constatação é de que o fim dos alagamentos depende de uma grande intervenção, possivelmente com um levante da rua. Como está próxima ao Rio Caí, será preciso fazer um estudo sobre o impacto ambiental de uma medida, já que poderia haver represamento da água. Cabelo encaminhou o assunto para a equipe de engenheiros e arquitetos da Secretaria de Obras para avaliar o quadro e buscar uma solução.

Deixe seu comentário