Associação Beneficente Floresta Montenegrina cedeu espaço para a instalação de projeto do AfroAtitude. Foto: arquivo Ibiá

Grupo pretende instalar, em 2019, biblioteca e laboratório de informática abertos à comunidade na Associação Floresta

O Coletivo AfroAtitude embarca em um projeto ousado e nobre para construção de uma biblioteca e laboratório de informática comunitários em Montenegro. O espaço para a realização será na Associação Floresta Montenegrina, porém, ainda é preciso somar esforços porque há muito trabalho pela frente.

Falta arrecadar mais livros, peças de computador e da parceria de alguma empresa para concessão de internet gratuita ou com desconto. Caso você tenha alguma obra literária sobrando em casa, que tal fazer uma doação e contribuir com a causa? Também aquele monitor e mouse que já não lhe servem mais serão de bom uso para o Coletivo.
Integrante do AfroAtitude há aproximadamente um ano, Jean Paulo Honorato, 23 anos, foi o idealizador da proposta. Inicialmente arrecadando livros sozinho, em um trabalho de “formiguinha”, conta que ainda falta firmar parcerias para que o sonho se torne realidade e alcance a comunidade.

“É um trabalho coletivo. É para que atinja as minorias com pouco acesso à informação. O foco principal do nosso projeto é o povo pobre, humilde de Montenegro, que nunca foi olhado. É para o negro, o indígena, que nunca teve espaço ou voz”, salienta Jean. O projeto precisa de livros de literatura geral e peças de computador como mouse, monitor e impressora. A pretensão do grupo é que a iniciativa saia do papel já no ano que vem.

Artistas montenegrinos se disponibilizaram a pintar o espaço onde será a Biblioteca Margarida Corrêa de Paula e laboratório de informática. Foto: Jeferson Martins

“Tudo é difícil, precisa correr atrás, tem muito que fazer. Nós, que tivemos família frequentadora da Associação Floresta, e que fazemos parte da história do lugar e da sociedade queremos transformá-lo em um espaço democrático, de arte e cultura, fortalecendo os vínculos da minha geração e da cultura negra”, pontua.
E em memória de quem tanto contribuiu com a Sociedade Montenegrina, o nome da biblioteca será Margarida Corrêa de Paula. “Era minha bisavó e foi participante ativa do Floresta. Eu cresci nesse meio, cresci ali dentro. Então por isso a homenagem”, pontua.

O Coletivo AfroAtitude existe desde 2016
De acordo com Tifany Franciele, o Coletivo AfroAtitude nasceu em 2016. Contando com aproximadamente 15 integrantes presenciais, ela explica que o grupo iniciou com o objetivo de trazer mais conhecimento e fortalecer os vínculos negros da cidade. “Queríamos montar ações e eventos interligando e trazendo essa valorização afro, que percebíamos muito fraca em Montenegro”, relata.

“Eu conheci o Jean, que já tinha o projeto em mãos e unimos o útil ao agradável. A Biblioteca municipal, nem todos conseguem acessar. A localização dela, lá no Centenário, inviabiliza um pouco as coisas. A iniciativa, então, busca trazer um local próximo, de fácil acesso, e que crianças de poucas condições consigam usufruir”, informa.

Com ideias em mente, só faltava o local para executar o projeto. “Então percebemos que o local de 102 anos , o Floresta Montenegrina, que é um ponto afro, reconhecido por isso, seria perfeito pro AfroAtitude. E conseguimos conversar com a coordenação e, por insistência, conquistamos um espaço”, afirma.

Onde entregar as doações?
Alguns estabelecimentos parceiros estão aceitando os livros e peças de computador. São eles:
– Esperanza Tattoo Shop – rua Capitão Cruz, n°1981
-Alameda Skateshop – Rodoviária de Montenegro, sala 3
-Smoke Town e Dini Tatto – rua Capitão Porfírio, n° 2042
– Barbearia Tapa de Moreno – rua Florindo Machado

O que doar?
– Peças de computador (mouse, monitor, teclado, CPU…)
– Livros de literatura geral, de história e filosofia
*Livros didáticos não são aceitos

Deixe seu comentário