A pandemia do novo coronavírus mudou a rotina e a vida de todos, não há como negar. Novos investimentos tiveram de ser feitos na saúde, a economia foi afetada e foi necessário também trabalhar a conscientização e empatia da comunidade. Em Montenegro, o ano iniciou marcado pela seca, mas também houve enchentes no Rio Caí e no Arroio São Miguel. No interior, problemas como a escassez de água potável e a falta de sinal de celular permaneceram. Apesar disso, 2020 também foi um ano de novos projetos e muita solidariedade. Relembre os acontecimentos que marcaram 2020:

Janeiro
3 – Em continuidade às tratativas realizadas entre Estado e municípios do Vale do Caí, iniciadas em outubro de 2019, foi realizada uma reunião na Secretaria da Saúde do Estado com prefeitos e secretários municipais de saúde. Eles debateram a possibilidade de o Hospital Montenegro 100% SUS ser referência em traumatologia para o Vale do Caí. O HM encaminhou ofício à SES no final de fevereiro solicitando reunião para nova discussão, o que ainda não ocorreu.

10 – Estiagem mais grave desde a safra 2011-2012, segundo a Secretaria Estadual da Agricultura, causou diversos danos no Estado. No Vale do Caí, as maiores perdas foram verificadas nas culturas de milho e melancia.

13 – Teve início o projeto de revitalização do trecho do Porto das Laranjeiras. Dentre as alterações em 105 metros da orla, foram realizados o alargamento das calçadas, reforma do quiosque, novos pergolados, novos bancos, novas luminárias, rampas de acesso, e etc.

13 – Começam as demarcações das vagas para o novo estacionamento rotativo de Montenegro. A previsão para o início da cobrança era dia 17 de fevereiro.

15 – Após 58 dias de paralisação, os professores estaduais decidiram encerrar uma das maiores greves recentes do magistério do Estado. Foram 725 votos favoráveis ao fim da paralisação e 593 contrários. Apesar da decisão, o Cpers/Sindicato negou a proposta do governo e deliberou a continuação da mobilização contra o pacote do governador Eduardo Leite.

Fevereiro
5 – O prefeito Kadu Müller demitiu o secretário executivo do Procon Montenegro, Fabio Junior Barbosa. Responsável pela entidade há cerca de quatro anos, Fabio relatou que não recebeu justificativas. Porém, disse que motivos políticos teriam resultado na exoneração. A Assessoria de Comunicação da Prefeitura explicou que a função de Barbosa era Cargo Comissionado (CC) e que, por isso, existe o direito de ele ser desligado a qualquer momento, sem que fosse necessário demonstrar os motivos.

9 – A praça de pedágio da BR-386, em Montenegro, inicia as operações. É cobrada a passagem de ida e volta. A praça fica no quilômetro 426 da rodovia federal, próximo da divisa de Montenegro com o município de Nova Santa Rita.

Foto: Reprodução Internet

17 – Iniciam as aulas nas escolas privadas de Montenegro.

20 – Cerca de 7 mil alunos retornaram às atividades nas 28 instituições municipais de ensino espalhadas pela cidade e interior, desde a Educação Infantil até os anos finais do Ensino Fundamental.

Março
4 – O Grupo Amigos do Cavalo disponibilizou gratuitamente exames do mormo, anemia infecciosa e vacina contra a Influenza para os animais cujos donos utilizam para puxar carroças da cidade, que são de baixa renda, além de cobrar apenas R$ 120,00 para os outros. Normalmente, os exames variam entre R$ 250,00 e R$ 300,00. A ação faz parte da Semana do Cavalo, que teve mais de 200 animais atendidos.

13 – Instalados há mais de um ano em Montenegro, integrantes de 15 famílias de índios Kaingang ocuparam o galpão de construção da creche Centenário. Ausência do poder público, melhores condições de moradia e higiene foram algumas das motivações da comunidade indígena, que agora segue na busca pela legalização do espaço no bairro Centenário através do Estado.

16 – A Fundação Municipal de Arte (Fundarte) anunciou a suspensão de todas as atividades até 29 de março em razão do coronavírus (Covid-19).

16 – O Rodeio Crioulo de Montenegro retornou ao Parque Centenário. Eventos do tipo não ocorriam no complexo desde 2016; e há muito mais tempo não eram o sucesso verificado da edição. Organizado pelo Piquete de Laçadores Laço da Amizade e pela Comissão Pró Tradicionalista, a atividade iniciou oficialmente na sexta-feira, 13 e foi até domingo, 15, com números expressivos.

16 – Em entrevista coletiva, Prefeitura de Montenegro anunciou que as aulas seguiriam mantidas na Rede Municipal de Ensino, e que não havia necessidade ainda da atitude extrema em relação a Covid-19. Na ocasião também foi informado a criação de um Comitê, composto por profissionais de saúde da Rede Municipal, bem como profissionais do Hospital Unimed e Hospital Montenegro 100% SUS para evitar a proliferação do vírus. Entretanto, após intensos protestos nas redes sociais, o prefeito Kadu Müller tomou uma nova decisão. Por causa da pandemia de coronavírus, as escolas foram fechadas a partir do dia 19 de março, com previsão inicial de 15 dias.

16 – O governador Eduardo Leite anunciou a suspensão das aulas da Rede Estadual de Ensino a partir do dia 19. A medida buscava conter o avanço no novo coranavírus. A suspensão das aulas inicialmente valia por duas semanas, porém no dia 31 de março o Estado prorrogação suspensão das aulas em escolas da Rede Estadual, em universidades e em instituições de ensino públicas e privadas até 30 de abril. Atividades desenvolvidas por meio das aulas programadas foram disponibilizadas através de mensagens de WhatsApp ou Facebook, compartilhamento de arquivos de áudio e vídeo, por e-mail, por salas virtuais ou até mesmo pela entrega de materiais didáticos nas áreas rurais do Estado.

17 – Em assembleia extraordinária da Associação dos Municípios do Vale do Rio Caí (Amvarc), prefeitos de toda a região elaboraram em conjunto determinações para a contenção da pandemia do novo coronavírus em suas cidades. A principal decisão foi sobre a suspensão das aulas nas redes municipais. Após muito debate, a recomendação foi de se suspender as aulas durante 15 dias.

18 – Em Montenegro, os sintomas da gripe aumentaram a procura por atendimento nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), revelando a preocupação da população frente à pandemia do novo coronavírus. A Secretaria Municipal da Saúde – onde funciona o Pronto Atendimento 24 horas – estava realizando a triagem dos pacientes no pátio da entidade para não aglomerar pessoas em local fechado.

25 – Cufa Montenegro, através da campanha #Favelacontraovirus, criou uma rede solidária para arrecadar diferentes doações para pessoas da comunidade que vivem da informalidade, e que além do medo de contrair o vírus, ainda enfrentaram receio de não ter alimento dentro de casa.

25 – O Colégio Sinodal Progresso e o Instituto de Educação São José anunciaram o aumento do período de suspensão das aulas. O Sinodal estipulou o dia 19/4 para o retorno; e o São José colocou que as atividades seguiriam suspensas “por tempo indeterminado”.

27 – A Prefeitura de Montenegro iniciou a higienização das ruas da cidade com a aplicação de uma solução de hipoclorito de sódio. A ação tinha como objetivo desinfetar a área urbana, especialmente em pontos com maior movimentação de pessoas, focada em conter a pandemia da Covid-19.

Abril
1 – A secretaria municipal da Saúde de Montenegro confirmou a existência de um caso importado de dengue na cidade. Tratava-se de uma mulher que esteve no estado do Mato Grosso do Sul em março e teve sintomas da doença.

2 – O Hospital Montenegro 100% SUS é o primeiro no Estado a implantar o Salus, um sistema de triagem rápida para identificar pacientes com suspeita de coronavírus.

2 – Forma-se fila em frente ao Centro de Referência de Assistência Social (CRAS). A procura pelo local se deu porque, devido a pandemia de coronavírus, o Centro estava realizando cadastrados para a entrega de cestas básicas.

7 – A Prefeitura de Montenegro publica o decreto de Situação de Emergência na área rural em decorrência da estiagem, sobretudo na Agricultura.

14 – Durante uma das mais rigorosas estiagens dos últimos sete anos no RS, as comunidades de Faxinal, Bom Jardim e Muda Boi seguiam com problemas de abastecimento de água. Na data, já fazia mais de um ano do início da ampliação das redes de abastecimentos através de extração de água do solo, porém praticamente nada avançou.

14 – Com o objetivo de auxiliar mães solo moradoras de favelas, a Central Única das Favelas (Cufa) lança em Montenegro o programa “Mães da Favela”. O programa social faz parte do projeto “Cufa Contra o Vírus”.

Maio
2 – As medidas de isolamento social em função da pandemia de coronavírus mudaram muita coisa na rotina das pessoas. Mas um gesto realizado em Montenegro, mostrou que, onde há amor e criatividade, a distância obrigatória se torna mero detalhe. O casal Lisandra Kerber e Élton Renner foram surpreendidos por um buzinaço do lado de fora. O seu próprio chá de bebê surpresa sendo promovido em formato de carreata. Dezenas de eventos semelhantes foram feitos no município ao longo do ano.

5 – Na Costa da Serra, ligar para a família, fechar um negócio ou chamar uma ambulância requer o local e a posição certa. Nesse dia, Ibiá publicou matéria a respeito da dificuldade da comunidade com a telefonia móvel.

7 – Maior estiagem dos últimos anos deixa suas marcas ao longo dos municípios cortados pelo Caí. Em reportagem especial, foi mostrada a realidade das cidades às margens do Rio.

8 – O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) reconheceu o Estado de Calamidade Pública em Montenegro, em decorrência de doenças infecciosas virais (Covid-19).

11 – A direção do Hospital Montenegro anunciou a retomada gradual dos serviços eletivos ambulatoriais e das cirurgias eletivas.

14 – Iniciaram as obras da 4ª etapa de restauração do complexo arquitetônico da Estação da Cultura que abrangeu o projeto denominado Casa do Chefe da Estação. O espaço foi inaugurado oficialmente no dia 27 de novembro.

27 – O governador Eduardo Leite, anuncia o planejamento para o retorno das aulas presenciais no Rio Grande do Sul. Com as aulas paralisadas desde 19 de março devido a pandemia da Covid-19, foi programado o início das aulas remotas para o dia 1° de junho.

Junho
15 – Inicia oficialmente a cobrança do estacionamento rotativo pago, no Centro de Montenegro. O primeiro dia de funcionamento da nova modalidade gerou inúmeras vagas nas principais ruas do Centro da cidade. No dia 31 de agosto, pouco mais de dois meses depois, a cobrança foi suspensa novamente, após um recurso apresentado pela empresa BR Parking ao Tribunal de Justiça do Estado. Desse modo, o pagamento só retornará após o julgamento do recurso da reclamante e também da Procuradoria Geral do Município (PGM), que interveio pedindo o retorno da cobrança.

23 – Após 50 anos de espera de moradores a rua Ibirubá, no alto do bairro Bela Vista, recebeu nova pavimentação, rede pluvial e contenções do trecho. Rua sem pavimentação, íngreme, com problema constante de enxurradas ladeira abaixo em dias de chuva e sistema de esgoto precário eram algumas das situações recorrentes da rua.

25 – Depois de três meses de Pandemia, a Central Única das Favelas Montenegro anuncia já ter doado, junto com parceiros, 26 toneladas de donativos para moradores do município e região.

26 – A fim de evitar aglomerações e a circulação de pessoas, a Prefeitura de Montenegro isolou diferentes locais públicos do município. Algumas praças da cidade, quiosques na Orla do Rio Caí, o acesso ao Morro São João e a Estação da Cultura estão entre os pontos que foram isolados pela Administração Municipal.

30 – Hospital Montenegro 100% SUS suspende procedimentos eletivos por risco de falta de medicamentos.

Julho
4 – JBS doa mais de 40 mil equipamentos de proteção individual, além de 300 litros de álcool em gel, macas e produtos de higiene, para a Secretaria de Saúde de Montenegro.

9 – É registrada enchente nas cidades da região cortadas pelo Rio Caí. Pico em Montenegro ocorreu por volta das 12h, quando chegou aos 8,18 metros. Desde 2013, o município não registrava enchente de grande porte como essa. Mais de 30 pessoas foram abrigadas pela Prefeitura de Montenegro.

Foto: Jaime Buttenbender

10 – Prefeitura de Montenegro decreta situação de emergência no município, devido às fortes chuvas e enchente que atingiram a cidade.

22 – O retorno das chuvas após seis meses de seca e a chegada do frio interromperam a quebra de safra dos citros no Rio Grande do Sul. A Emater-Ascar em Montenegro projetava recuo de 20% nas perdas em geral.

Agosto
6 – Trabalhadores da comunidade da Vila Esperança foram deixados para trás pelo transporte público que já passou lotado no bairro Senai. Moradores relataram já ter passado por essa situação mais de uma vez e reclamaram do desrespeito. A Viação Montenegro afirmou que a empresa estava acompanhando os relatórios de demanda e avaliando o novo cenário de transporte durante a pandemia.

6 – Em meio à pandemia, cerca de 20 famílias recebem ordem de despejo da Prefeitura de Montenegro. Há mais de um ano vivendo em um terreno na rua Doutor Gilberto Seelig (mais conhecida como João Corrêa), no bairro Senai, as famílias tinham somente 15 dias para deixar o espaço, mas recorreram na justiça. Segundo a Administração, o local é propriedade do município e também é uma área de preservação permanente cortada pelo Arroio São Miguel.

20 – O posto de Estratégia de Saúde da Família (ESF) V do Parque Centenário completa um ano de sua retomada. Neste período, além de consultas e procedimentos, o espaço se tornou referência para a população de cinco bairros de Montenegro, até como um local para sanar dúvidas. Em média, a UBS Centenário realiza 50 atendimentos por dia.

20 – Considerada uma das melhores do País de acordo com o Selo de UTI Eficiente 2019 – premiação dada pelo Epimed Solutions – a UTI do Hospital Montenegro 100% SUS comemora 7 anos de reinauguração. A ala que ficou de 2010 a 2013 sem funcionar, tem garantido atendimento a 14 municípios da região nos últimos anos.

20 – O Hospital Montenegro 100% SUS recebe dois respiradores mecânicos. Os aparelhos foram encaminhados pelo Ministério da Saúde para serem utilizados no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus.

20 – Famílias da rua João Corrêa conseguem suspender ordem de despejo. De acordo com a advogada de defesa a alegação é de que a ordem feria o direito de resposta antes do despejo, além de também ser citado o momento atual de pandemia da Covid-19.

Setembro
3 – Prefeitos e secretários municipais de Educação da Associação dos Municípios do Vale do Rio Caí (Amvarc) firmaram posição contra o retorno das aulas presenciais em setembro. Com grande maioria dos participantes concordando, a entidade regional se posicionou contra o calendário proposto pelo Governo do Estado e definiu que as redes municipais de ensino não retornariam às aulas em setembro.

6 – Com a forte chuva que ocorreu no município, o Arroio São Miguel, que passa à margem do bairro Senai, transbordou e causou inundações nas vias públicas da Vila Esperança. O problema ocorria frequentemente no bairro, quando haviam fortes chuvas, porém no final de 2016 as obras de macrodrenagem do Arroio foram finalizadas, e a promessa era que a água não entrasse mais nas residências.


7 – A Central Única das Favelas (Cufa) completa 12 anos de fomento na potência da periferia pobre de Montenegro.

8 – Inicialmente prevista para ser concluída em fevereiro de 2017, a obra da Escola Municipal de Ensino Infantil (Emei) do bairro Centenário segue inacabada. A Secretaria Municipal de Obras Públicas (Smop) anunciou que estava analisando a habilitação das cinco empresas que se candidataram para executar o serviço. A estimativa é que as obras da escola fossem retomadas ainda em 2020, porém o reinício das obras ainda não ocorreu.

20 – Referência na região, o Hospital Montenegro celebra oito anos de atuação como 100% SUS.

20 – Em um ano atípico, os festejos farroupilha de Montenegro ocorreram online, transmitido livremente através do Facebook. Lives e drive thru de churrasco foram o ponto alto do evento.

22 – Aulas seguiam remotas, mas escolas do município atendiam presencialmente quem precisa.

24 – Com manutenção da bandeira laranja no Distanciamento Controlado, no dia 28 voltavam as aulas presenciais para cursos de Ensino Superior, Técnico, Profissionalizante e Médio em Montenegro. Escolas particulares já estavam preparadas para o retorno.

25 – Sem ter onde morar, em torno de 10 famílias que vivem em um terreno no final da rua Jaguarão, no bairro Senai, receberam uma ordem de despejo da Prefeitura de Montenegro. A pequena comunidade tinha somente 15 dias para sair da área, o que segundo eles era impossível de realizar. Após cinco dias da notificação, foi protocolado a suspensão da determinação junto ao Ministério Público.

Outubro
1 – Hospital Montenegro 100% SUS (HM) suspende consultas, exames e procedimentos a nível ambulatorial. Após notificação da Secretaria Estadual da Saúde (SES). Os atendimentos eletivos retornaram no dia 6.

13 – Feira do Livro de Montenegro também se adapta a pandemia e é promovida em formato digital. Cine-Drive In levou dezenas de montenegrinos ao estacionamento da Unisc.

20 – O retorno programado para as aulas na Rede Estadual, para Ensino Médio e Técnico, não ocorreu na maioria das escolas de Montenegro e região. No município, apenas a Escola Técnica São João Batista retomou as atividades na data estipulada pelo Estado. Falta de equipamentos de proteção e colaboradores foram alguns dos motivos para que outras instituições não retornassem no dia.

Foto: Seduc/Divulgação

22 – A Entidade de Filantropia, Cultura e Arte (Efica), completa 50 anos de trabalhos voltados à cultura, arte e desenvolvimento de Montenegro.

25 – A Agência FGTAS/Sine Montenegro é fechada por tempo indeterminado. A sede foi interditada por determinação do Departamento de Obras da Secretaria de Obras e Habitação, devido a diversos problemas estruturais na sua edificação.

28 – Em Montenegro, Estado autoriza, mas Município ainda não permite volta às aulas do Ensino Fundamental.

29 – A comunidade do Calafate e região se mobiliza contra o fechamento de um trecho de estrada localizada no 3º Distrito (Vendinha) entre a Estrada Antônio Carlos Fernandes Rosa e a ERS-124. Isso porque um projeto de lei do Executivo que concede incentivos à Vibra Agroindustrial SA. foi aprovado por seis votos a três na Câmara de Vereadores, e como conseqüência o trecho de 2,09 hectares de terra que corta duas propriedades da empresa será doado e fechado para o trânsito da comunidade.

Novembro
3 – A Fundarte foi uma das premiadas na 26ª edição do Prêmio Líderes & Vencedores, concedido pela Assembleia Legislativa e Federasul. A Fundação ganhou o prêmio com o Projeto Ação Comunitária Fundarte, na categoria Expressão Cultural.

5 – O juiz Cristiano Vilhalba Flores suspendeu o processo de retomada das aulas presenciais na Rede Estadual de Ensino. Entretanto, um dia depois a 22ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul acatou o pedido de efeito suspensivo feito pela Procuradoria-Geral do Estado e as aulas presenciais, mais uma vez, estavam autorizadas a serem retomadas no Estado.

24 – Em Montenegro, dois prédios de serviços essenciais para a população seguiam fechados e, consequentemente, sem atendimentos presenciais. Interditado em outubro devido a “problemas estruturais”, a agência do Sine Montenegro continuava sem previsão de retorno para os serviços presenciais. Já o prédio do Ipe do município estava sem atendimentos no local devido à pandemia do novo coronavírus, desde março deste ano. Os dois prédios irão finalizar o ano fechados.

30 – Montenegro passa a ter, no dia 1°, Códigos de Endereçamento Postal (CEPs) específicos para cada logradouro situado dentro do seu perímetro urbano.

Dezembro
3 – Floreiras do Cais são embelezadas por artistas montenegrinas. As artes retratam a história do Cais de Montenegro e do próprio município. A revitalização foi resultado da parceria entre a Associação Montenegrina de Artistas (Amarti) e a Secretaria Municipal de Indústria, Comércio e Turismo (Smic).

8 – A Sociedade Beneficente Espiritualista (SBE), mais conhecida como Lar do Menor, completa 60 anos de auxílio a crianças de diversas idades moradoras do município.

11 – Sine Montenegro retorna com os atendimentos presenciais em um novo local, cedido pela Prefeitura de Montenegro. O serviço agora é oferecido na sala 6 do complexo da Estação da Cultura, na rua Osvaldo Aranha.

17 – A aluna Nicole Streit, de Pareci Novo, desenvolveu um projeto para a travessia da RSC-287. Estudante do curso de Engenharia Civil da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), Nicole criou o trabalho visando solucionar os problemas históricos da rodovia com o menor custo possível. Para fazer as duas rótulas, a inclusão da faixa de pedestres, o novo redutor de velocidade e as calçadas, o custo estimado é de R$ 2.800.000,00, um valor bem menor do que outros projetos.

24 – A empresa Supermercado Mombach Ltda realizou a entrega da reforma concluída do banheiro localizado próximo ao pórtico de entrada do Parque Centenário. A revitalização do espaço público ocorreu como contrapartida da empresa a incentivos recebidos para a instalação de uma unidade no bairro.

Foto: Divulgação/Acom

Deixe seu comentário