São diversos objetos personalizados para esta época

belas peças. Artesãos expõem seus trabalhos para a população, que procura o presente perfeito para o Natal

A tradicional Feira Natalina que acontece na Praça Rui Barbosa chegou a sua 17ª edição. As bancas que ocupam a calçada da rua São João estão cheias de arte e sugestões de presentes para quem passa por ali. As exposições seguem até o dia 17 de dezembro. Os visitantes têm a oportunidade de conferir lembranças personalizadas e adquirir, também, produtos coloniais.

“Realizando sonhos, com carinho e dedicação!”. Esse é o lema da marca de Ana Paula da Silva, artesã, participante “de primeira viagem” na feira. Apresentando a marca Aliarte-artesanatos, ela está entusiasmada em poder divulgar seus produtos para a cidade. “Está sendo uma experiência bem legal”. Ana produz suas peças, que incluem panos de prato, guirlandas, almofadas, crochê, entre outros, há dez anos. “Foi esse ano que finalmente resolvi participar”, conta.

Instigada desde criança, a artesã Schirlene Funarie é uma grande artista das pinturas no tecido

A artesã comenta que, por enquanto, as vendas estão mais paradas, mas tem a perspectiva de vender bastante mais próximo do Natal. Durante as compras, tem a opção de as pessoas pedirem customização das peças ou fazerem encomendas. “Dependendo do produto, fazemos até na hora”.

Expondo na feira a mais de seis anos, a veterana Schirlene Funarie é artesã desde os oito. “Minha mãe bordava e costurava. Ela incentivava muito a gente”, recorda. Desde criança ela já começou a dar os primeiros pontos em cruz e fazer crochê, ensinados pela tia. “Aos 15 anos eu dei minhas primeiras pinceladas no tecido”, relembra. Já são mais 40 anos fazendo arte nos panos de prato, que facilmente param quem passa por ali.

Apontando uma certa diminuição nas vendas, Schirlene fala que antigamente eram muito mais bancas e as pessoas procuravam mais. Mas, segundo ela, uma coisa nunca muda. “As pessoas sempre passam e olham”, conta. Durante a feira, assim como várias outras artesãs, Schirlene continua seus trabalhos de pintura em tecido. “Faço aqui mesmo. Tive que conciliar, porque não tenho como ir para casa fazer”, explica.

Visitante desde o início da feira, Maria Eunilda Vieira Coimbra, 73, adora olhar os artesanatos expostos. “Eu gosto muito de flores e enfeites”, comenta. Ela é moradora do bairro Senai e vem até o Centro escolher seus presentes. Para a senhora, os preferidos são os guardanapos. “Acho muito bom. Tem muita coisa diferente e bonita”, diz a aposentada.

Deixe seu comentário