William não deu chances para o seu adversário na luta em Teutônia. Foto: Arquivo Pessoal/Gustavo Kuhn

Nocaute. Atleta da Nitro Team nocauteou seu adversário no primeiro round

Dentre os dois atletas de Montenegro que estiveram no 2º Teutofight, realizado na noite de sábado em Teutônia, o lutador de Muay Thai William Bizarro foi o que mais se destacou. O atleta da Nitro Team bateu seu adversário, Wilson Motta Dutra, por nocaute ainda no primeiro round da luta. Realizando a super luta do evento na modalidade Jiu Jitsu, Luciano Pinto acabou derrotado. Ariel Jaeger estava no card do 2º Teutofight, mas acabou não lutando por não bater peso.

Para Bizarro, 27 anos, seu desempenho é fruto de seu trabalho. “Treino muito, até demais, justamente para não dar chances aos meus adversários”, garantiu. Lutador da categoria meio-médio (até 81 quilos), salientou que não conhecia o seu adversário e tão pouco buscou estudá-lo. “Nunca vou atrás pra saber com quem vou lutar. Vou lá e faço meu jogo, não falo nada, não demonstro nada. Faço o que tenho que fazer: bato e deu”, afirmou.
O lutador destacou ainda a organização do evento, que teve nesse ano a segunda edição. O único lamento de William foram os atletas que faltaram com o profissionalismo e não compareceram para suas lutas. “Isso é uma coisa inaceitável”, disse. Treinador de William, Gustavo Kuhn também salientou que o evento estava muito bem organizado.

Luciano (de branco) acabou sendo finalizado quando faltavam
dois minutos para o final da super luta contra Miguel Anka. Foto: Felipe Rocha Fotografia

Na super luta, Luciano levou a pior contra Miguel Anka. A disputa entre os faixa preta em Jiu Jitsu até 90 quilos terminou com o morador de Montenegro sendo finalizado quando faltavam dois minutos para o final da luta. “Odeio perder, mas sei perder. O importante é aprender com as vitórias e as derrotas”, refletiu Luciano. “Sei que podia ter ganhado, não lutei tudo o que sei, mas sem desculpas, meu adversário mereceu a vitória”, complementou.
Sobre o Teutofight, o lutador disse achar legal o reconhecimento dado ao Jiu Jitsu numa competição voltada ao MMA. “Entre tantos faixa preta eu fui convidado. Inclusive, já fui convidado para o próximo evento”, destacou. Ele salientou ainda que agora foca seus treinos nos próximos desafios: dia 1º de outubro no Circuito RS de Jiu Jitsu e dia 7 de outubro no Floripa Open.

Deixe seu comentário