Geverson Porciúncula percorre grandes distâncias com sua bike reclinada

Geverson Porciúncula se inspira em modelo europeu para pedalar longas distâncias

Em meio à correria do dia a dia, o vice-diretor do Instituto Penal de Montenegro (IPM), Geverson Porciúncula, encontrou, através do ciclismo, uma forma diferente e saudável de conhecer novos lugares. Além de aproveitar o (pouco) tempo livre com a família aos finais de semana, o servidor da Segurança também percorre longas distâncias com sua bicicleta reclinada, inspirada em modelos da Europa.

Natural de Novo Hamburgo, onde reside até hoje, o agente penal iniciou esse projeto ciclístico há 12 anos, junto com seu compadre. De lá para cá, vem realizando melhorias na bike com o objetivo de tornar suas viagens melhores e mais confortáveis. O modelo reclinado do banco da bicicleta permite que Geverson não tenha tanto desgaste ao pedalar distâncias maiores.

Vice-diretor do IPM tem como próximo objetivo pedalar até Garopaba-SC

O gosto pelo ciclismo acompanha Porciúncula desde a sua infância. No dia que finalizou a montagem da bike “à moda europeia”, saiu junto com seu compadre para dar uma volta, a fim de testar a novidade. “Saímos para experimentar, resolvemos ir a São Leopoldo. Quando vimos, estávamos quase chegando a São Sebastião do Caí, então fomos até Bom Princípio e retornamos. Estreamos as bikes fazendo mais de 100 km”, recorda.

Como toda engrenagem, a bike foi montada em diferentes fases. Primeiro, Geverson começou adaptando o quadro, depois utilizou peças convencionais e, por fim, instalou e regulou o banco, que é de fibra e permite que o ciclista escore as costas para pedalar. Ao longo dos anos, o servidor da Segurança fez inúmeras melhorias. Agora, ele acredita que a bicicleta está quase 100% pronta. “A ideia é embelezar ela. Estou comprando um novo bagageiro, uma proteção para a corrente e vou pintá-la”, frisa.

Em relação aos equipamentos necessários para andar com esse tipo de bicicleta, o vice-diretor do IPM explica que, além dos tradicionais acessórios de segurança utilizados pelos ciclistas, também é preciso um sapato apropriado para o pé não ficar solto no momento de pedalar. “A bike é muito confortável, por isso ela foi feita para a estrada, para percorrer distâncias maiores. Em uma das primeiras pedaladas, andei 350 quilômetros, que foi no Audax (evento ciclístico não-competitivo), a maior distância que fiz”, conta.

A grande motivação do policial penal para por em prática esse projeto com seu compadre foi a paixão por viajar. Antes de colocar na pista a bike reclinada, Geverson pedalava no Audax com uma bicicleta Speed. Com o tempo, percebeu que estava cansando muito e precisava de mais conforto para percorrer longas distâncias. “Era muito desconfortável e desgastante fazer grandes pedaladas com a Speed. A bike atual oferece muito conforto”, reforça.

Deixe seu comentário