Piso e telhado da sede social serão reformados ainda este ano, mas conclusão dos reparos está longe do fim

Clube. Reforma completa um ano, mas ainda está longe de ser concluída

Dificuldades financeiras, falta de apoio e máquinas estragadas foram alguns obstáculos encontrados por Alex Gonçalves há um ano, quando ele resolveu arregaçar as mangas e reformar o Grêmio Esportivo Municipal, um dos clubes mais tradicionais de Montenegro. O cenário, que era de abandono neste mesmo dia de 2018, hoje é de esperança. A reestruturação, porém, ainda está longe de ser finalizada e não tem prazo para isso, pois depende de recursos financeiros.

Reforma completou um ano nesta semana, mas ainda está longe de ser finalizada

Atual presidente do clube, Alex, mais conhecido como Leleco, calcula que aproximadamente 20% dos serviços estão concluídos no local. Uma das prioridades dele é a sede, que estava com sua estrutura completamente deteriorada e tinha o risco de desmoronar há 365 dias. Agora, com os reparos, já foi feito até um galeto na remodelada churrasqueira.

Mas a sede social ainda não está pronta. O telhado será consertado na sequência, assim como o piso, que apresenta rachaduras. Posteriormente, as janelas também serão trocadas, já que praticamente todos os vidros foram quebrados. “Em um ano de reformas, conseguimos organizar a parte da limpeza, levamos água para os vestiários, compramos máquinas de cortar grama e reativamos a escolinha. Além disso, a sede não tem mais risco de cair”, exalta Leleco.

Quando o presidente decidiu pôr a mão na massa, o matagal tomava conta do entorno das arquibancadas e do gramado. Na sede, havia inúmeras goteiras e troféus no chão, quase todos danificados. Algumas taças, inclusive, foram encontradas por Leleco boiando no Arroio São Miguel, que passa atrás da sede. “Não sei como cheguei até aqui. Várias pessoas me falaram para eu desistir, para eu largar de mão. Eu sentava aqui na arquibancada, ficava até escurecer olhando para o campo. Precisava fazer algo. Quero que o Municipal seja referência na região”, afirma o mandatário.

Até o final deste ano, Leleco pretende concluir a instalação da rede elétrica, finalizar a reforma nos banheiros e no telhado da sede. “Desde o início dos trabalhos, a maior dificuldade é financeira. Estamos sempre em busca de apoiadores, mas é complicado. Teve mês que eu não tinha dinheiro para pagar minhas contas, devido às reformas no clube. Ficava preso aqui sábado e domingo, mas não podia passar na rua e ver o Municipal fechado”, acrescenta.

Atual presidente, Leleco é o grande responsável pela reestruturação do Municipal

Formação de atletas é um dos objetivos
Uma das pessoas que abraçou a ideia e tem sido fundamental para a reestruturação do clube é a coordenadora Márcia Regina Gallas. Assim como Leleco, ela acumula funções para fazer do Grêmio Esportivo Municipal um clube formador de atletas e cidadãos. O objetivo do presidente e da coordenadora é construir um Centro de Treinamentos no local para auxiliar no desenvolvimento de meninos e meninas e encaminhá-los para os principais clubes do Estado e do País.

A escolinha do Municipal foi reativada assim que Leleco iniciou a reforma, em 2018. Os treinos acontecem nas tardes de segunda e sexta-feira (para meninos e meninas, dos seis aos 19 anos), e nos sábados pela manhã (às 10h, exclusivamente para meninas). Os mais novos treinam às 13h30min, enquanto as atividades dos atletas acima de 14 anos iniciam às 15h30min – nas segundas e sextas.

“Farei dois campos reduzidos de treinamento atrás do gramado principal. A ideia é fazer um CT para formar atletas, a partir da escolinha, que já está funcionando”, destaca Leleco.

Deixe seu comentário