Luciano Pinto no topo do pódio foi uma cena frequente neste ano. Foto: arquivo pessoal

Jiu Jitsu. Além dos títulos, lutador garantiu passagem para o Mundial de Las Vegas

A temporada foi exaustiva, repleta de desafios e viagens, mas também muito vitoriosa. Quando o assunto é Jiu Jitsu, o lutador faixa preta Luciano Pinto não tem do que reclamar em 2019. O atleta montenegrino subiu ao pódio em praticamente todos os campeonatos disputados e fechou o ano com incríveis 29 medalhas conquistadas, sendo 20 de ouro. Além dos títulos, Luciano ainda conquistou uma passagem para lutar o Mundial de Las Vegas de 2020.

Aos 40 anos, o atleta local teve uma de suas melhores temporadas em 2019. Foram 22 competições disputadas, uma expressiva média de duas por mês. Para fazer um comparativo, no MMA (Artes Marciais Mistas), por exemplo, os competidores realizam, em média, uma luta a cada três, quatro meses. “Chego ao final do ano cansado, mas a palavra que resume meu ano é satisfação. É muito bom chegar ao fim da temporada e ver que tudo valeu a pena, colher os resultados”, destaca.

Além das 20 medalhas de ouro conquistadas, Luciano ainda faturou sete pratas e dois bronzes. Para ele, o título mais especial de 2019 foi o cinturão da Copa dos Campeões. “Nessa competição estavam os melhores do ano no Estado. Serviu para coroar essa temporada”, explica o atleta.

Entre as 22 competições disputadas, o Campeonato Brasileiro, realizado em Barueri-SP, foi considerado o desafio mais complicado para o montenegrino em 2019. “Não foi só um dos mais difíceis do ano, mas um dos mais complicados da vida. Ganhei duas lutas e perdi a terceira, nas quartas de final”, relembra.

No Estado, Luciano não deu chances para seus oponentes. Das 22 medalhas possíveis na Copa Prime, ele conquistou 19. Apesar disso, uma das etapas do certame estadual ficou engasgada na garganta do atleta local. “Na etapa de Novo Hamburgo, perdi para o mesmo adversário no Peso e no Absoluto, duas vezes por finalização. Fiquei mal psicologicamente, pois eu vinha em uma sequência muito boa”, lamenta.

As derrotas em Novo Hamburgo foram um ponto fora da curva na campanha de Luciano Pinto na Copa Prime. Com 19 medalhas conquistadas na competição, tornou-se o campeão estadual e ficou no topo do Ranking Geral, garantido uma passagem para o Mundial de Jiu Jitsu de Las Vegas-EUA, em agosto de 2020. “É um sentimento de gratidão e orgulho, porque batalho muito, em termos de treino e dinheiro. Não é fácil se manter sozinho para lutar”, enfatiza.

Além do cinturão da Copa dos Campeões e do título da Copa Prime, Luciano ainda foi vice-campeão sul-americano e subiu ao topo do pódio do Abu Dhabi International Pro, em Gramado. A temporada também foi de muitas viagens para o montenegrino, que lutou quatro vezes em Florianópolis-SC, outras quatro vezes em São Paulo e uma vez no Rio de Janeiro.

O título do Mundial de São Paulo ficou para 2020, ano em que o atleta faixa preta tem inúmeros desafios previstos. “Quero o ouro no próximo Mundial. Em fevereiro tem o Sul-Brasileiro, que sou pentacampeão e quero ganhar novamente. Inicio a preparação dia 6 de janeiro”, acrescenta Luciano, que ainda vai disputar o Pan-Americano, o Sul-Americano, o Brasileiro, o Abu Dhabi International Pro, a Copa Prime e o Open, em 2020.

“O melhor de tudo é inspirar as pessoas, principalmente as crianças. São quase 100 alunos na academia. Ainda tivemos a mudança da academia neste ano, agora temos um espaço próprio”, completa.

Deixe seu comentário