Moradores da localidade, Cláudio Silva, João Vitor Viegas, Sélia de Ávila, Betina Viegas, Dalírio Guth, Gelson Guth e Naná pedem a continuidade do Olaria

Tradicional clube do Município corre o risco de fechar as portas após impasse

“O Olaria é o único espaço de lazer aqui na localidade, não temos outro lugar para aproveitar aos finais de semana”. A declaração é de Betina Viegas, moradora de Santos Reis. Ela frequenta o Olaria Futebol Clube desde pequena e teme o encerramento das atividades da tradicional instituição esportiva e recreativa localizada no interior de Montenegro. Desde o início deste ano, o Olaria vive um impasse entre os herdeiros da área onde o clube está sediado e membros da Sociedade de Santos Reis.

As partes envolvidas chegaram a agendar uma reunião para resolver o imbróglio no dia 23 de março. Porém, um desencontro de informações nessa data impediu o encontro. Depois, não houve mais diálogo. De acordo com Rafael Griebeler, presidente da Sociedade de Santos Reis e membro da comissão formada para manter as atividades no Olaria, a situação de momento é irreversível. “Eles (herdeiros) estão irredutíveis, pediram para a gente desocupar a área e concordamos. É desanimador. A sociedade não tem mais nada a ver com o campo, o Olaria acabou”, lamenta.

O local esteve “abandonado” e tomado pelo brejo por 11 anos, até que aproximadamente cinco meses atrás, Dalírio Guth, morador da localidade, foi chamado por Rafael Griebeler para ser o ecônomo do clube e limpar o campo e a sede do Olaria. Dalírio tornou o clube apto a receber visitantes novamente, porém, há cerca de três meses, o ecônomo foi avisado que não precisava mais ir ao local. “O presidente da sociedade disse que eu não precisava mais vir, pois os herdeiros não queriam mais ninguém nessa área. Mas continuei vindo, quase todos os dias, já que ainda não recebi nada pelos serviços”, pontua.

Dalírio Guth limpou o campo e organizou a sede do clube nos últimos meses

Desde que Dalírio limpou o campo e deixou o clube organizado, no final de 2021, muitas famílias passaram a frequentar o local aos finais de semana. Os moradores de Santos Reis temem que o impasse entre herdeiros e sociedade faça o Olaria fechar as portas. “Temos o nosso futebol garantido no domingo. O Olaria é um ótimo lugar para os pais e mães levarem seus filhos pequenos para se divertir e brincar com seus amigos. Inclusive, os próprios pais têm sua diversão lá”, declara Dalvan Mathias Perkoski, morador de localidade.

“Fiquei muito triste quando soube (da possibilidade do Olaria fechar as portas), pois o campo ficou tanto tempo virado em mato e nunca fizeram nada, e agora que o campo foi limpo e tava sendo cuidado, acontece isso. A gurizada de Santos Reis estava fazendo um time para jogar contra outras equipes de fora. Essa notícia desanimou muita gente”, complementa Dalvan.

Futuro incerto
Os moradores lembram que a área foi doada para a Sociedade de Santos Reis há bastante tempo, e a sociedade ‘adotou’ o local para manter o clube ativo. Porém, nada foi documentado em contrato e, como a sociedade deu baixa no CNPJ do Olaria há alguns anos, criou-se o impasse entre membros da sociedade e os herdeiros daquela área.

Presidente da comissão formada para manter o clube ativo, Carlos Einar de Mello, o Naná, lamenta a situação e diz que os herdeiros ainda não sabem o que farão no local. “Para nós é muito triste, lamentável. Falei com um dos herdeiros, e eles ainda não decidiram o que vão fazer nessa área”, salienta.

Desde o final de 2021, campo do Olaria voltou a receber visitantes aos finais de semana. Agora, comunidade teme ficar sem espaço de lazer em Santos Reis

A reportagem entrou em contato com um dos herdeiros da área, que preferiu não se manifestar sobre o assunto.

Deixe seu comentário