Eduardo Coudet diz que pretende formar uma equipe competitiva e protagonista. Foto: Mariana Capra/divulgação Inter

Com Coudet no comando, colorado busca voltar a conquistar títulos

A temporada de 2020 será de transformação no Beira-Rio. A chegada do técnico argentino Eduardo Coudet ao clube significa uma mudança drástica no modelo de jogo da equipe. Os torcedores, que se acostumaram a ver um Inter reativo nos últimos anos, esperando o adversário e saindo em contra-ataque, devem ver um time ofensivo, propositivo e mais intenso neste ano.

O novo treinador traz consigo novas ideias e uma filosofia diferente dos últimos técnicos que passaram pela casamata colorada. Entretanto, o “Chacho”, como o argentino prefere ser chamado, terá pouco tempo para colocar em prática as suas ideias. A reapresentação do grupo principal está marcada para o dia 8 de janeiro. A estreia da equipe colorada no Campeonato Gaúcho ocorre 15 dias depois, contra o Juventude. No dia 4 de fevereiro, o clube estreia na fase preliminar da Libertadores, contra Unión Española ou Universidad de Chile.

Em resumo, Coudet terá menos de um mês para se adaptar à nova casa e preparar o Inter para a primeira decisão da temporada. Além disso, o treinador deve receber reforços em meio à pré-temporada. A dificuldade financeira impossibilita que o clube faça grandes investimentos, mas a direção espera anunciar pelo menos seis reforços nesta janela de transferências. Dois deles já foram confirmados: Rodinei e Damián Musto.

Nos últimos clubes em que passou, o novo comandante do Inter adotou o esquema 4-1-3-2, com um primeiro volante de bom passe, três meias com capacidade de pressionar a saída de bola adversária e dois atacantes que atuem próximos. Chacho não costuma armar suas equipes para ter a posse de bola o tempo todo, ele prefere que seu time chegue à área adversária com poucos toques.

Em sua entrevista coletiva de apresentação, o técnico argentino ressaltou que pretende formar uma equipe aguerrida e propositiva. “O Inter tem um plantel muito bom. Preciso me aprofundar sobre quais jogadores terei no início e aí resolver as necessidades. Tenho que adaptar a ideia aos atletas. Quero uma equipe que busque jogar bem futebol e que seja protagonista. Mas, sobretudo, que tenha muito coração, que cada bola seja disputada da mesma maneira”, disse.

Em 2020, o Inter disputará o Campeonato Gaúcho, a Libertadores da América (a partir da fase pré-grupos), o Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil (a partir das oitavas de final). O desafio de Coudet, além de implementar um novo estilo de jogo, é fazer o clube voltar a conquistar títulos de expressão. O último foi em 2011, com a Recopa Sul-Americana.

Lateral-direito Rodinei chega para brigar por uma posição com o jovem Heitor. Foto: divulgação Flamengo

Reforços e saídas mudam a cara da equipe
Mesmo com dificuldades financeiras, a direção trabalha para preencher lacunas no elenco. As duas laterais e o setor de ataque são as principais carências. Para a lateral-direita, o clube acertou a contratação de Rodinei, do Flamengo. O outro reforço acertado com o Inter atua como primeiro volante. Trata-se de Damián Musto, homem de confiança do técnico Eduardo Coudet e que estava no Huesca, da Espanha. Ambos chegam por empréstimo até o final da temporada.

Nos últimos dias de dezembro, o centroavante Lucas Pratto, que atua no River Plate, foi oferecido. Contudo, o jogador do clube argentino que mais interessa a cúpula colorada é o meia Ignacio Fernandez.

Por falar em meio-campistas, a direção também busca reforçar o setor. Nomes como Charles Aránguiz e Boschilia interessam, mas Bayer Leverkusen e Mônaco, clubes que detêm os direitos dos dois atletas, respectivamente, fazem jogo duro para liberá-los. Para a lateral-esquerda, o Inter sondou as situações de Moisés, Guilherme Arana e Victor Luís. A tendência é que o clube avance nas tratativas neste início de ano.

Muitos jogadores deixaram o Beira-Rio em dezembro. Nico López, Juan Alano e Charles foram negociados, Emerson Santos, Rithely, Guilherme Parede, Neílton, Trellez e Matheus Galdezani tiveram seus contratos de empréstimo encerrados, enquanto Bruno, Rafael Sobis e Bruno Silva foram liberados. O zagueiro Klaus e os laterais Uendel e Natanael também foram liberados para procurar outro clube. No entanto, se não receberem propostas, seguirão em Porto Alegre.

O ídolo argentino D’Alessandro renovou seu contrato por mais uma temporada. Já o goleiro Danilo Fernandes teve seu contrato renovado até 2021.
O peruano Paolo Guerrero, especulado no Boca Juniors, tem sua permanência considera como primordial para as pretensões coloradas.

Os garotos Johnny (E) e Peglow (D) farão parte do grupo principal nesta temporada. Foto: Ricardo Duarte/divulgação Inter

A utilização da base
Além de reforços de qualidade, um dos pedidos da torcida colorada é a maior utilização das categorias de base no time principal.
Em 2019, muitos jovens subiram para o elenco profissional, mas somente Heitor, Bruno Fuchs e Nonato tiveram sequência entre os titulares.
Em seus últimos trabalhos, Coudet utilizou vários garotos em suas equipes, como Lo Celso (no Rosário Central) e Lautaro Martinez (no Racing). Hoje, ambos estão em clubes do primeiro escalão da Europa.

Quatro promessas da base colorada serão incorporadas ao elenco principal a partir do dia 8: os meias Bruno Praxedes e Johnny, que já jogou alguns minutos no último Campeonato Brasileiro, e os atacantes Netto e João Peglow.

O último, que completa 18 anos dia 7 deste mês, sagrou-se campeão mundial Sub-17 com a Seleção Brasileira no último ano e teve seu contrato renovado até 2023.

Deixe seu comentário