Técnico Alexander Medina vem exigindo muita intensidade na pré-temporada. Foto: Ricardo Duarte / divulgação Inter

Colorado quer reconquistar o estadual e a Copa Sul-Americana em 2022

Assim como nas últimas temporadas, o Inter abre o ano de 2022 com um trabalho começando do zero. Sem conquistar títulos há seis anos, o clube aposta no uruguaio Alexander ‘Cacique’ Medina para retomar o caminho das conquistas. O técnico, que estava no Talleres, da Argentina, é adepto a um estilo de jogo vertical e intenso. Para o novo comandante conseguir executar sua ideia, a direção vem mudando – aos poucos – a característica do elenco.

Titulares nas últimas temporadas, Marcelo Lomba, Saravia e Patrick deixaram o clube. O jovem atacante Vinicius Mello foi vendido ao Charlotte FC, dos Estados Unidos, enquanto o zagueiro Lucas Ribeiro não teve seu contrato de empréstimo renovado. Por outro lado, o clube foi ao mercado para buscar reforços que “casem” com o estilo de jogo do novo técnico. O centroavante Wesley Moraes e o volante Liziero, foram contratados por empréstimo.

Ídolo colorado, D’Alessandro retornou ao clube e assinou contrato até o final de abril para encerrar sua trajetória no futebol. O atacante David, que atua pelos lados do campo, também já chegou a Porto Alegre e deve ser anunciado em breve. A direção busca mais um atacante que atue pelas pontas, e o uruguaio Brian Rodriguez é o nome mais próximo de um acordo. O clube ainda espera contratar um lateral-direito e um volante nesta janela de transferências.

Na atual temporada, o colorado vai disputar o Campeonato Gaúcho, o Campeonato Brasileiro, a Copa do Brasil (enfrenta o Globo-RN na primeira fase) e a Copa Sul-Americana. Para dar fim ao incômodo jejum sem taças, o clube busca reconquistar o estadual e dará atenção especial ao Gauchão no primeiro semestre. O título da Sul-Americana também é um dos objetivos do clube para 2022.

“A expectativa sempre é boa no começo do ano. Nós, fanáticos pelo clube, sempre pensamos positivo. Porém, temos que ser sinceros em dizer que o elenco não está forte, comparado aos demais times da elite. Alguns jogadores ‘saturados’ já deviam ter saído antes, e outros ainda permanecem. Aos que chegam agora, é uma esperança de renovação, atletas que podem surpreender”, declara o colorado Felipe Gadonski.

O montenegrino entende como injustas as críticas de boa parte da torcida em relação aos últimos técnicos, diante de parte do elenco que o clube mantém há vários anos. Felipe acredita que um bom trabalho de Cacique Medina pode conduzir o Inter ao caminho das conquistas em 2022. “Mesmo com um time inferior, acho que podemos chegar longe nas competições se o time for bem treinado e organizado”, opina.

Além dos atletas considerados pilares do time, Gadonski espera que alguns jovens recebam mais oportunidades neste ano, como Maurício, Johnny e Gustavo Maia. Garotos que atuaram na Copinha também podem ser “reforços” importantes na temporada. “Acredito nessa gurizada da base, o Gauchão pode ser utilizado para testá-los. Sobre reforços, o lateral Bustos e os atacantes Soteldo e Marinho seriam ótimos reforços, mas a dificuldade financeira do Inter torna esses negócios muito difíceis”, completa o torcedor.

Deixe seu comentário